PM salva recém-nascida engasgada com leite materno em Belo Horizonte

Recém-nascida salva BH Santa Luzia
Após primeiro atendimento, recém-nascida precisou de ajuda médica (Alexandre Santos/Arquivo Pessoal)

Um policial militar salvou a vida de uma bebê recém-nascida – de apenas dez dias – que estava engasgada com leite materno, na manhã desta segunda-feira (10), no bairro Jaqueline, na região Norte de Belo Horizonte. Segundo o policial, uma senhora apareceu na blitz da PM, em Santa Luzia, na divisa com a capital, pedindo socorro para a equipe.

“A gente estava na blitz de trânsito e de repente apareceu uma senhora falando que a filha da sobrinha dela, de dez dias, estava engasgada com leite de materno, mais a salivação. Então nos deslocamos para lá, e fizemos o procedimento”, conta o sargento Alexandre José dos Santos, que realizou os primeiros socorros.

A guarnição foi acionada por volta de 8h, e ainda precisou acalmar a tia. “Ela estava muito desesperada, sem saber o que fazer, a gente teve que acalmá-la e conversar com ela. Nós falamos que a polícia militar iria atendê-la de pronta resposta”, relata.

Salvamento

A equipe da PM foi até o local. “Nós acompanhamos ela. Quando a gente chegou lá na casa dela, a gente colocou em prática nossos ensinamentos de primeiros socorros. Primeiramente, coloquei ela de bruços e tentei realizar o salvamento, mas não foi suficiente, aí tive que pedir para a mãe dela fazer uma sucção pela boca e pelo nariz da recém-nascida”, conta Santos.

Assim que a recém-nascida reagiu à técnica, ela foi encaminhada para a UPA (unidade de pronto atendimento) do bairro São Benedito, em Santa Luzia. “Quando ela começou a ressuscitar, nós saímos para o hospital”, diz.

Se não fosse pelos primeiros socorros, a bebê poderia não estar mais viva. “O médico falou que a bebê já estava mudando a corzinha”. O militar ficou feliz com a ajuda prestada. “Foi muita satisfação, muita alegria, muita euforia”. Ele ainda recebeu o agradecimento dos responsáveis: “Ficaram muito felizes, agradeceram muito à polícia militar, juntamente a guarda municipal de Santa Luzia”, conta.

O sargento não deixou de prestar os seus próprios agradecimentos. “Nós trabalhamos junto com a guarda municipal, e o guarda Ramos me apoiou em todo o momento”, reconhece.

O que fazer em situações como essa?

O militar ainda revelou que esse tipo de ocorrência faz parte da rotina da polícia. “[Eu já atendi] várias vezes. Em outros serviços também, atendendo outros batalhões. É uma coisa rotineira que a polícia militar atende no dia a dia no estado de Minas Gerais”, revela.

Diante disso, o policial aproveitou para passar algumas orientações para pais, mães ou responsáveis. “A recomendação que eu tenho é tentar não entrar em pânico, manter a calma, e de imediato, se possível, fazer contato com o 192, o Samu, que vai passar orientação pelo telefone. Também tem o 193, número do Corpo de Bombeiros”, explica.

“E, dentro da possibilidade, fazer primeiros socorros igual nós fizemos. Nós fizemos esse primeiro atendimento, para depois deslocar, o que prezava ali no momento era a vida da recém-nascida. Depois, já providenciar o caminho do hospital, do pronto atendimento”, finaliza.

Edição: Roberth Costa

Comentários