Polícia Federal realiza operação contra golpistas em BH; prejuízo chega a R$ 22 milhões

Divulgação/Polícia Federal

A Polícia Federal em Minas Gerais deflagrou, nesta terça-feira (18), a Operação Policial Água Limpa, com o objetivo de desarticular quadrilha que aplicava golpes na obtenção de empréstimos e financiamentos imobiliários contra a Caixa Econômica Federal. O total de créditos obtidos pelo meio fraudulento supera R$ 22 milhões.

Estão sendo cumpridos três mandados judiciais de prisão preventiva, cinco de prisão temporária, uma de condução coercitiva e cinco de busca e apreensão, além de bloqueios de contas bancárias e sequestro de bens imóveis.

Os estelionatários celebravam contratos de empréstimos em nome de empresas de fachada, cujos sócios são fictícios, e apresentavam certidões dos imóveis oferecidos em garantia com averbações falsificadas. Três gerentes da instituição financeira estão sendo investigados, além da participação de um Cartório extrajudicial, nos quais foram reconhecidas as firmas de pessoas físicas inexistentes.

Os envolvidos foram indiciados pelos crimes de associação criminosa, estelionato, alienação fraudulenta de coisa própria, falsificação do selo ou sinal público, falsificação de documento público, falso reconhecimento de firma, uso de documento falso, inserção de dados falsos em sistemas, corrupção passiva e ativa, gestão fraudulenta, gestão temerária, fraude na obtenção de financiamento e lavagem de dinheiro, cuja soma das penas chega a 100 anos.

Da Polícia Federal

Roberth Costaroberth.costa@bhaz.com.br

Editor do BHAZ desde junho de 2018 e repórter desde 2014. Participou do processo de criação do portal em 2012. É formado em Publicidade e Propaganda pela Faculdade Promove. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2018, 2019 e 2020, além de figurar entre os finalistas do prêmio Sindibel, em 2019, e Sebrae de Jornalismo, em 2021.