Pesquisar
Close this search box.

Quermesse Bar reabre as portas em BH com comidas de boteco, balde de cerveja, drinks e mais

Por

quermesse bar rolê bhaz bh
Bar está de volta à capital mineira após fechar durante a pandemia (BHAZ)

O Quermesse Bar reabriu as portas em Belo Horizonte, agora, na Praça Tiradentes, no bairro Funcionários, região Centro-Sul da cidade. O estabelecimento, com cardápio baseado nas clássicas comidinhas de boteco e cervejas de garrafa, voltou a funcionar na capital mineira há pouco mais de dois meses. A primeira unidade do bar, localizada na Rua Pium-í, no bairro Sion, precisou fechar durante a pandemia.

O Quermesse surgiu em Curitiba há 15 anos, mas foi idealizado por um mineiro. Diogo Manfredini, que administra a unidade do bar em BH, explica que o pai quis levar um pouquinho da cultura mineira aos paranaenses.

“Meu pai, casado com uma curitibana, teve a ideia de levar algo de Minas para outro estado. E acredito que o sucesso tenha vindo daí, pois era algo diferente do que estava sendo feito”.

Manfredini está otimista com o novo ponto da casa. Ele acredita que a Praça Tiradentes é um local que reúne todos os tipos de pessoas.

Amanda Serrano/BHAZ

“Tem gente de terno, estudante, família. A ideia de abrir aqui foi justamente entregar algo a mais para essas pessoas. A praça abraça todo mundo, então quis fazer o mesmo através do nosso cardápio, que tem opções de pratos mais fartos para compartilhar, como churrasco, torresmo de barriga, cervejas de garrafa e um menu especial de caipirinhas”, afirma.

‘Rolê democrático’

O dono ainda explica alguns outros diferenciais do bar. “A gente abre de domingo a domingo, porque senti que faltava isso em BH, um local que abrisse no início da semana. Além disso, tem os shows de música ao vivo de quarta a domingo também”, ressalta.

Manfredini também disse que pretende, futuramente, abrir no horário de almoço e voltar a promover alguns festivais, como os que ocorrem em Curitiba. “A gente é um boteco raiz, queremos estar sempre inovando, mas sem perder nossa essência”, conta.

“Em alguns períodos do ano, a gente coloca show de segunda a segunda. Costumo brincar que o único dia que fecha é no Natal. A ideia é que as pessoas saibam e se acostumem que, independentemente do dia, aqui elas encontrarão uma boa música, uma comida ótima e atendimento exemplar. Outra coisa legal é que não cobramos 10% e nem couvert pelos shows, queremos ser um rolê democrático, então fazemos esses ‘mimos’ para nossos clientes”, declara o dono.

Cortes de churrasco, petiscos e muita bebida!

A exemplo de uma das inovações do bar, Manfredini cita o “baldão”, com nada mais nada menos do que 30 cervejas de garrafa e uma vela. “São 30 garrafas de cerveja dentro de um balde gigante, com uma vela de balada, tipo de camarote. É legal porque às vezes rola uma competição, se uma mesa pede, a outra também quer. Algumas pessoas se preocupam com a temperatura, mas podem ficar tranquilas que aqui é cheio de geladeiras e a gente troca a bebida.”

Amanda Serrano/BHAZ

“Além das cervejas, temos uma variedade de caipirinhas, com picolé, espuma de gengibre, por exemplo. E isso é legal porque inovamos com uma bebida tradicional conhecida por todos. Tem também as opções de carnes, como picanha, bife sujo e T-bone, petiscos, sanduíches e até sobremesas, como a banoffee. É um cardápio montado por um mineiro para mineiros. Lembro das férias que passava aqui com minha família, e tudo isso serviu de inspiração para nós”, declara.

Festivais e bolo de dois metros

A antiga unidade em Belo Horizonte já contava com alguns festivais, como o de caipirinha. Neste ano, o intuito de Manfredini é aumentar ainda mais os festivais.

“Vamos ter o Festival de Inverno, com um fondue especial de chocolate. Claro que também teremos uma programação especial para a festa junina, com bandeirinhas, quentões, choconhaque, apresentações de danças e até um bolo de dois metros.”

O que algumas pessoas não sabem é que esse bolo já é tradição, e que o dono esconde alguns santinhos de São João para os clientes procurarem. “A gente coloca algumas figuras de São João, o santo casamenteiro, dentro do bolo, e quem achar, a gente brinca que vai casar. Tem gente que acha três de uma vez”, conta.

Manfredini afirma que a intenção do bar é justamente encantar, divertir e fazer com que todos possam apreciar a vida acompanhada de uma boa caipirinha.

Amanda Serrano

Foi estagiária do Jornal Estado de Minas e da TV Band Minas. Também trabalhou na assessoria política. Atualmente é repórter do Portal BHAZ.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ