Sem Carnaval, BH endurece restrições em shoppings nos dias da folia; e a música ao vivo?

Shopping terão ainda mais restrições durante o ‘Carnaval’ (Cookelma/Envato + Moisés Teodoro/BHAZ)

A PBH (Prefeitura de Belo Horizonte) anunciou que, durante o período que seria do Carnaval, os shoppings da cidade deverão fechar as lojas e manter funcionando somente serviços essenciais e praça de alimentação. O anúncio foi feito em coletiva hoje (5) – a mesma que definiu nova liberação da venda de bebidas alcoólicas em bares e restaurantes da capital.

O período que seria o Carnaval vai do dia 12 a 17 deste mês. No sábado e nos outros dias da semana, os shoppings poderão abrir somente a praça de alimentação e serviços essenciais. No domingo de “Carnaval”, os estabelecimentos deverão estar fechados, sem funcionamento de nada.

Bares e restaurantes

No período que seria do Carnaval, bares e restaurantes terão horários ainda mais restritos do que os atuais. Esses estabelecimentos não só vão poder vender bebida alcoólica até às 15h (como é a norma atual), como também só serão liberados para funcionar até esse horário. Portanto, será proibida a abertura, mesmo que não tenha venda desse tipo de bebida. Com as mudanças, os próximos dias nos estabelecimentos do segmento serão assim:

  • Deste sábado (6) até a próxima sexta-feira (12): Funcionamento liberado com venda de bebida alcoólica das 11h às 22h.
  • No próximo fim de semana (13 e 14): Bares e restaurantes não poderão abrir
  • De segunda (15) a quarta (17): Funcionamento liberado com venda de bebida alcoólica de 11h às 15h – horário em que os estabelecimentos devem fechar as portas.

Pode música ao vivo?

Com a liberação da venda de bebidas em bares e restaurantes, uma pergunta vem à cabeça: pode música ao vivo? Ainda não. De acordo com o secretário de Planejamento, André Reis, a questão é debatida, mas qualquer decisão deve ficar para depois do período que seria o Carnaval. “É portaria e não decreto, então tem um tempo, mas pode ser que logo depois do Carnaval a gente consiga avançar nesse sentido. Mas para evitar a aglomeração nesse período, pode ser que aconteça um pouco mais pra frente”, explicou.

Indicadores

Antes do anúncio, o secretário de Saúde, Jackson Machado, informou que a ocupação da enfermaria voltada para Covid está em 48,4%; a de leitos de UTI Covid, 68,4%; e a taxa da transmissão, 0,88%. “Isso é uma queda muito significativa em relação ao valor dos índices de três semanas atrás, quando o comitê sugeriu ao prefeito que restringisse as medidas de flexibilização na cidade. E pra nós é óbvio, é muito claro que essa queda se deve a essas medidas [de restrição]”, afirmou o secretário, que também coordena o comitê responsável por apontar restrições e flexibilizações da cidade.

Edição: Roberth Costa
Vitor Fernandes
Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Editor e repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sindibel (2019), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários