Torcedores destroem banca de revistas em BH e prejuízo fica em R$ 70 mil: ‘Tristeza, um horror’

banca revista destruída praça bh
Donas da banca ficaram surpresas com cenário de destruição (Asafe Alcântara/BHAZ)

A comemoração dos torcedores do Atlético pelo título do Campeonato Brasileiro dificilmente será esquecida por duas comerciantes de BH. Sandra Leite, 63, e Célia Antunes, 65, tiveram a banca de revista destruída. O prejuízo estimado por elas, que são atleticanas, é de R$ 70 mil e pedem ajuda para conseguir recuperar o negócio.

“Subiram no teto da banca e destruíram tudo. Os torcedores conseguiram quebrar os pilares que são o esqueleto da banca. Tinha mais de 50 pessoas pulando”, conta Célia em entrevista ao BHAZ. A banca está localizada na Praça Sete e funciona há 25 anos. O cenário encontrado pelas proprietárias foi de “horror”.

“A estrutura está toda condenada. Estamos sem condição de conseguir entrar. É tristeza demais ter que lidar com isso. Está um horror”, lamenta. Ainda é cedo para precisar o valor exato do prejuízo deixado pelos vândalos, no entanto, a estimativa inicial é de R$ 70 mil.

teto banca bh
Teto da banca ficou destruído durante comemoração do título (Asafe Alcântara/BHAZ)

Caso recorrente

Esta não é a primeira vez que Sandra e Célia lidam com atos de vandalismo depois de uma conquista do Atlético. “Após a conquista da Libertadores, em 2013, aconteceu a mesma coisa. Arrumamos, reforçamos a estrutura, mas agora praticamente não tem como fazer reparo”, diz Célia.

Sandra comenta que, na época, elas gastaram cerca de R$ 12 mil para fazer os reparos na banca. “Mandamos arrumar e colocamos três placas [no teto]. Agora estragou tudo novamente. Os vândalos conseguiram quebrar tudo”.

“É uma falta de respeito tudo isso que aconteceu. Somos atleticanas e ficamos felizes pelo título. Só que toda conquista do Atlético temos prejuízo. Infelizmente não dá”, pontua Célia.

banca destruída vândalos
Estragos estão por toda parte da banca (Aasafe Alcântara/BHAZ)

Ajuda

Com a banca totalmente destruída, Sandra conta com a solidariedade das pessoas para poder continuar trabalhando. “Aqui é minha única fonte de renda. Tomo quatro remédios por dia. Sou hipertensa, diabética e tenho problema de coração”.

“O apelo que faço é que, pelo amor de Deus, quem puder doe uma banca. Preciso do imóvel para trabalhar. Não quero nada de ninguém, só quero trabalhar. É muito triste ver o que aconteceu aqui”, afirma.

Quem puder ajudar as proprietárias da banca pode entrar em contato pelo (31) 9 9983-5717 ou (31) 9 8495-2322.

sandra dona banca
Sandra pede ajuda para poder voltar a trabalhar (Asafe Alcântara/BHAZ)
Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ de maio de 2017 a dezembro de 2021. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários