Após mais de um ano e meio, UFMG retoma aulas presenciais no modelo híbrido

ufmg
De acordo com a UFMG, o limite de ocupação no campus Pampulha será de até 40% da lotação total (Amanda Dias/BHAZ)

O segundo semestre letivo de 2021 da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) teve início hoje (13) e, após mais de um ano e meio longe das salas de aula, alguns estudantes de graduação puderam retornar ao campus Pampulha. Neste momento, a retomada das aulas acontece no modelo híbrido – que intercala atividades remotas e presenciais.

De acordo com os protocolos elaborados pela comunidade acadêmica, o limite de ocupação no campus Pampulha será de até 40% da lotação total. Esse número máximo inclui funcionários, professores e alunos, que poderão circular pela UFMG no dia das atividades presenciais.

Ao divulgar o retorno das aulas em formato híbrido, a universidade esclareceu que só retornarão ao modelo presencial as disciplinas que realmente necessitem da estrutura do campus para serem realizadas. Além disso, os estudantes que ingressaram na instituição neste semestre só terão aulas remotas.

Reabertura do ‘bandejão’

Também nesta quarta-feira (13), os estudantes da UFMG puderam matar a saudade de almoçar no querido “bandeco”. A partir de hoje, o Restaurante Setorial 1, no campus Pampulha, também volta a operar com 40% de sua capacidade.

O restaurante fica aberto das 11h às 14h e, além do almoço, servirá café da manhã aos estudantes assistidos pela FUMP (Fundação Universitária Mendes Pimentel), das 7h às 8h15. A universidade estima que cerca de 1,2 mil refeições sejam servidas, por dia, na unidade.

Fechado no início da pandemia, em março de 2020, o estabelecimento ganhou um layout especial garantir segurança sanitária a seus usuários. O local passa a contar com número menor de mesas, e cada uma delas tem agora uma estrutura de acrílico que veda a comunicação entre as duas pessoas que poderão almoçar simultaneamente.

Outros protocolos serão adotados, como aferição de temperatura na entrada, sinalização para higienização das mãos, distanciamento de pelo menos dois metros entre as pessoas, pratos servidos pelos funcionários e a proibição do uso do celular dentro do estabelecimento.

Vacinação é recomendada

No último mês, após comunicar o retorno das atividades em modelo híbrido, a universidade informou ao BHAZ que é fundamental que alunos, professores e funcionários estejam imunizados para que o retorno presencial seja feito de forma segura. Não existe em Minas Gerais nenhuma lei que obrigue as pessoas a se vacinarem, mas a UFMG recomenda que todos tomem a vacina contra a Covid para evitar que as pessoas se contaminem e manifestem sintomas graves da doença (veja aqui).

Além disso, a retomada das atividades será amparada pelo MonitoraCovid UFMG, um sistema de monitoramento de casos de Covid-19 nos ambientes da universidade. No aplicativo, servidores e alunos preenchem um questionário de autoverificação de sintomas e, caso necessário, são encaminhados ao serviço remoto de assistência TeleCovid.

Estudantes repercutem o retorno

Pelas redes sociais, os estudantes da UFMG se dividiram entre o ânimo para o retorno das aulas e a tristeza pelo começo de mais um semestre. Foram tantos memes, que o nome da universidade chegou a ser um dos assuntos mais comentados de Minas Gerais no Twitter nesta quarta-feira (13).

“Sei que é privilégio estudar na UFMG, mas com essa volta às aulas eu me pergunto pq não investi no TikTok”, brincou uma usuária da rede social. “Tá vendo essa chuva??? São as lágrimas do povo da UFMG com o início do semestre”, escreveu outra pessoa.

Veja um pouco da repercussão:

Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários