Pesquisar
Close this search box.

Minas recebe 78 mil vacinas contra dengue que serão entregues a BH e mais 21 municípios

Por

Minas recebe 78 mil vacinas contra dengue que serão entregues a 22 municípios
Minas recebe 78 mil vacinas contra dengue que serão entregues a 22 municípios. Foto: SES/Divulgação

Minas Gerais recebeu, nesta quinta-feira (22), 78.790 vacinas contra a dengue. Os imunizantes foram encaminhados pelo Ministério da Saúde e serão distribuídos para 22 municípios estipulados pela pasta de acordo com dados demográficos e epidemiológicos.

“Em razão da capacidade limitada de fornecimento de doses pelo laboratório fabricante da Qdenga, foram definidas regiões prioritárias e público-alvo de 10 e 11 anos”, explica a Secretaria de Estado da Saúde (SES) em nota.

Segundo lista divulgada em 25 de janeiro pelo Ministério da Saúde, serão contemplados com a primeira remessa da vacina em Minas Gerai nove cidades da região de Saúde de Coronel Fabriciano/Timóteo (Coronel Fabriciano, Timóteo, Pingo-d’Água, Antônio Dias, Marliéria, Santa Maria de Itabira, Jaguaraçu, Dionísio e Córrego Novo), e 13 da região de Saúde de Belo Horizonte/Nova Lima Caeté (Belo Horizonte, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia, Nova Lima, Caeté, Rio Acima, Jaboticatubas, Raposos, Belo Vale, Moeda, Nova União e Taquaraçu de Minas). Todos os municípios elencados receberão o imunizante.

“Tão logo sejam recebidas as doses na Central Estadual da Rede de Frio, a SES-MG fará a distribuição e logística da vacina às Unidades Regionais de Saúde de Belo Horizonte e Coronel Fabriciano/Timóteo”, informa a Secretaria de Estado de Saúde também em nota à imprensa.

“De acordo com o órgão federal, os critérios para definição dos municípios que receberão as doses seguiram as recomendações da Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização e da Organização Mundial de Saúde. As regiões de saúde selecionadas atendem a três critérios: são formadas por municípios de grande porte, ou seja, mais de 100 mil habitantes, com alta transmissão de dengue registrada em 2023 e 2024, e com maior predominância do sorotipo DENV-2”, completa o comunicado.

O secretário de Estado da Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, relembra que a doses são importantes para a proteção da população a médio e longo prazo, mas não são substituem o combate ao mosquito. “Se tiver sintomas, busque atendimento. Estamos capacitando todos os municípios para que esse atendimento seja feito”, reforça Baccheretti.

Lucas Negrisoli

Lucas Negrisoli é jornalista formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), trabalha desde 2015 com comunicação. Tem passagem por veículos como Estado de Minas, Rádio UFMG Educativa e O TEMPO em coberturas de economia, tecnologia, política e cidades. É editor do BHAZ desde outubro de 2023.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ