Zema diz que ampliação do metrô de BH vai sair do papel e verba está reservada: ‘Escutei do Paulo Guedes’

Romeu Zema e Paulo Guedes
Governador disse ter ouvido garantia do repasse pelo ministro da Economia (Pedro Gontijo/Imprensa MG)

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), garantiu que a obra de expansão do metrô de Belo Horizonte finalmente vai sair do papel. Após o anúncio das obras do transporte público, o político afirmou, nesta segunda-feira (30), que ouviu do ministro da Economia, Paulo Guedes, que o valor está “reservado no orçamento”.

As obras no metrô da capital mineira são antigas promessas ouvidas pelos usuários. Um novo capítulo veio na semana passada, após o governo federal ter anunciado um acordo com o Governo de Minas para ampliação da linha 1 e construção da linha 2. O acordo integra o projeto de privatização da CBTU (Companhia Brasileira de Trens Urbanos).

“Eu escutei do ministro Paulo Guedes que esse dinheiro já está reservado no orçamento”, disse em entrevista à TV Globo. O montante citado por Zema é o equivalente a R$ 2,8 bilhões. A obra vai custar R$ 3,2 bilhões e R$ 400 milhões vão vir do caixa do estado. O governador destacou que está confiante de que o governo federal irá cumprir o acordo.

“É uma obra muito importante para Belo Horizonte, para a região metropolitana e já deveria ter sido feita há 20, 25 anos atrás. Eu quero ter o prazer de pelo menos iniciá-la”. Zema destacou que a obra vai “levar anos” até ser concluída. “Talvez cinco, oito anos para ser executada, mas eu acredito firmemente”.

E se não vier?

O valor que será repassado pelo governo Bolsonaro precisa ser aprovado pelo Congresso. Zema acredita que é uma “hipótese remota” o não cumprimento do envio dos valores. Caso isso aconteça, o governador destacou que é possível realizar melhorias com os R$ 400 milhões do estado.

“Dá para revitalizar essa linha atual, que já existe. Hoje têm vários gargalos, modernizar as composições, melhorar diversas estações. Então, mesmo que o governo federal falte, o que eu não acredito, uma hipótese remota, nós vamos fazer avanços no trem metropolitano sim”, explicou.

Projeto antigo

As obras de ampliação do metrô já são uma promessa antiga e conhecida pelos mineiros. Em abril de 2019, a bancada mineira e o prefeito de BH, Alexandre Kalil, na época no PHS, afirmaram que o projeto sairia do papel.

O deputado federal Diego Andrade (PSD) chegou a afirmar que os deputados de Minas cobrariam a execução da obra durante o processo de renovação das concessões de ferrovias. “Esta é uma questão histórica e que as pessoas ficam muitas vezes desacreditadas devido à falta de recursos. Mas teremos a renovação de concessões das ferrovias brasileiras e a maior parte está em Minas Gerais. Vamos conversar para que possamos exigir, como contrapartida da renovação, a execução da ampliação da linha até o Barreiro”, disse.

As obras da Linha Dois do metrô de BH que ligariam a região do Barreiro ao Calafate chegaram a ser iniciadas em 1998. No entanto, só duraram até o ano de 2003, quando foram paralisadas e até o momento não foram retomadas (leia mais aqui).

Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas pelo prêmio CDL.

Comentários