Apresentador manda recado para homofóbico Sikêra Júnior e viraliza

Jacson RN
Jornalista da Band mandou um recado para Sikêra Júnior (Reprodução/jacsondamasceno/Instagram)

O Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ (entenda sigla aqui), comemorado nessa segunda-feira (28), colocou em destaque a resistência, o respeito, mas também a discriminação que pessoas de orientações sexuais diversas ainda sofrem no mundo, em especial em países como Brasil, que mais mata homossexuais, trans e travestis. Um jornalista do Brasil Urgente, da Band Rio Grande do Norte, deu um show de uma empatia na noite de ontem, após mandar um recado para Sikêra Júnior, apresentador do Alerta Nacional que difamou os homossexuais nas vésperas da celebração.

“Hoje é dia de combate ao preconceito e à descriminação à turma do LGBTQIA+ e eu preciso dar um recado aqui. Primeiro dizer que é um dia de luta de todos nós. Todos os seres humanos. Chega de escárnio. Chega de violência. Chega de desamor. Chega de pregar brutalidade. Chega de pregar a diferença, a violência, a ignorância. Somos todos iguais perante a lei e perante Deus se você crê em algum Deus”, diz Jacson Damasceno.

“Chega em nome de Deus cometer alguma violência, cometer agressão. O Deus que esses caras conhecem não é meu Deus. O meu Deus ama, o meu Deus protege, o meu Deus abraça, ama infinitamente”, disse, antes de mandar uma mensagem diretamente ao apresentador da RedeTV!.”Eu quero deixar um recado para um colega nosso que trabalha lá no Norte do país, tem um programa nacional, senhor Sikêra Júnior”, começa.

“Não conheço, nunca tive o desprazer de estar com ele, não gosto do trabalho dele, mas respeito como profissional de imprensa que é”, dispara. “Então quero fazer primeiro um alerta à ele, já que o programa dele acho que tem alguma coisa desse tipo no nome”, debocha. “O senhor é apresentador, eu sou também. O senhor pode ser milionário, mas nós temos responsabilidades iguais. Saiba usar a sua”.

“O senhor chegou onde chegou não para falar besteira. Aproveite a responsabilidade da sua audiência que você tem, que é bem maior que a minha, o seu cachê que é bem maior do que o meu, para pregar o bem, para trazer coisas úteis ao país, para pregar o amor, para pregar a paz. Porque além de dinheiro, o que foi que você construiu nesse tempo todo, desde que você explodiu para cá com as palhaçadas que você faz? O que você trouxe de construtivo para o Brasil? De útil para o Brasil?”, questiona.

‘Quem é você?’

Na sequência, Jacson compara o apresentador do Alerta Nacional com diversos ícones brasileiros ao longo das décadas que fazem parte da comunidade LGBTQIA+. “Quem é você comparado a Paulo Gustavo? Quem é você comparado a Joãozinho 30? Quem é você comparado a Clodovil? Quem é você comparado a Cássia Eller? Comparado a Renato Russo? Comparado a Cazuza? E tantos outros gays e lésbicas que orgulham e honram este país”, enumera.

“A sexualidade da pessoa não a diferencia em nada, não a diminui em nada. Quem é você para dizer que uma pessoa é desgraçada, filho do cão? Quem é você, Sikêra Júnior? Se enxergue, rapaz. Você é um coroa, um velho, se enxergue, coloque no seu lugar, respeite os seus cabelos brancos, pregue alguma coisa que preste neste país. Não vá ao ar para falar besteira”, disse o jornalista, enquanto imitava o apresentador do Alerta Nacional.

“Ensine alguma coisa de útil ao brasileiros! Deixe de conversar besteira, de ganhar dinheiro em cima de besteira. Ganhar dinheiro conversando miolo de pote. Traga alguma coisa construtiva ao país, faça alguma crítica construtiva, traga alguma coisa útil, deixe de renegar vacina, deixe de puxar saco de político. Adoeceu, graças a Deus voltou, e não tomou sua vacina, não tome não, filho de uma égua, fique prestando campanha para não tomar vacina, continue negacionista, continue maltratando seu próximo, seu irmão”, pontua.

“Onde você trabalha não tem gay não? Na sua família não tem não? Você vai matar um filho seu? Você vai matar um irmão? Ele vai ser um filho do cão, se um filho seu, um irmão seu, nascer homossexual? Deixa de conversar besteira ocupando horário nobre em uma TV nacional, concessão pública, para conversar bosta. Faça-me o favor, se dê o respeito, rapaz, pregue o amor nesse país.

“Você já não acha que é violência o bastante? Para você incentivar a violência, incentivar o ódio? Chamar um ao outro de raça desgraçada, de raça do cão? A sua raça é o quê? Você é o quê? Você é um nada, rapaz”, finaliza.

Entenda

Na sexta-feira (26), às vésperas do Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, o apresentador do Alerta Nacional, da RedeTV!, Sikêra Júnior, xingou todos os homossexuais durante editorial em seu programa. Sikêra disse que as pessoas que integram o movimento LGBTQIA+ são uma “raça desgraçada” que quer “acabar com a a família tradicional brasileira”.

“A criançada está sendo usada. Um povo lacrador que não convence mais os adultos e agora vão usar as crianças. É uma lição de comunismo: vamos atacar a base, a base familiar, é isso que eles querem. Nós não vamos deixar”, disse o apresentador em referência a uma peça publicitária do Burger King, que apresenta um caminho para pessoas que dizem não saber como explicar LGBTQIA+ para crianças. A temática do comercial não agradou grupos conservadores, inclusive o pastor Silas Malafaia.

“Vocês são nojentos. A gente está calado, engolindo essa raça desgraçada, mas vai chegar um momento que vamos ter que fazer um barulho maior. Deixa a criança crescer, brincar, descobrir por ela mesma. O comercial é podre, nojento”, disse Sikêra, em meio a outras acusações.

Após a série de falas homofóbicas, o MPF (Ministério Público Federal) apresentou uma ação civil pública contra a emissora e o apresentador, pedindo uma indenização de R$ 10 milhões por danos morais coletivos. O canal também perdeu três das principais empresas anunciantes, que cancelaram os contratos de patrocínio com a RedeTV!.

Polêmicas

Conhecido como uma figura polêmica, Sikêra Júnior protagonizou várias situações constrangedoras na televisão. Em abril deste ano, o apresentador rasgou a calça durante uma coreografia que executava ao lado de outros membros da equipe de seu programa.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) não deixou de participar de uma das danças do apresentador. No ano passado, em ocasião em que deveria estar no Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) alegou que possuía agenda oficial no Amazonas. No entanto, em vídeo divulgado nas redes sociais, o senador apareceu em gravação com Sikêra Júnior.

No mesmo ano, depois de demonstrar irritação por cair no “Gemidão do WhatsApp”, o apresentador dançou e cantou para comemorar a morte de um assaltante. O âncora do Alerta Nacional também já apareceu um dos assuntos mais comentados na internet depois de testar um produto ao vivo e ‘merchan’ virar confusão.

Um dos episódios mais conhecidos de Sikêra Júnior aconteceu no final de 2016, quando o apresentador disse que “maconheiros iriam morrer antes do Natal”. Ironicamente, ele teve um infarto na semana seguinte, mas se recuperou. Em função dos episódios polêmicos e homofóbicos, em 2019, um belo-horizontino promovido no JN dispensou dividir bancada com Sikêra.

Celebração

O Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+ foi comemorado ontem (28), com a adesão dos principais times mineiros na causa. América, Atlético, Cruzeiro, e o estádio Mineirão fizeram postagens pregando o respeito e o fim do preconceito envolvendo a comunidade LGBTQIA+. Já o Grupo Arco Íris de Cidadania entrou com uma ação judicial contra a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) questionando a ausência da camisa 24 na numeração da Seleção Brasileira. 

Apesar do crescimento da luta, sob o governo Bolsonaro, LGBTQIA+ sofrem com apagão de políticas públicas (veja mais aqui).

Edição: Vitor Fernandes

Comentários