Bolsonaro chama Flávio Dino de ‘comunista gordo’ e governador reage: ‘Vai trabalhar’

bolsonaro
O presidente disse que todo ‘chefe comunista é gordo’ (FOTO ILUSTRATIVA: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) fez comentários preconceituosos relacionados ao governador do Maranhão, Flávio Dino (PSB). Em conversa com apoiadores, nessa terça-feira (11), o presidente da República disse que os “chefes de países comunistas são gordos”, e mencionou o governador. Em resposta, Dino disse que a “piada” de Bolsonaro é compatível com sua “escassez de neurônios”.

Conforme conversava com apoiadores, um deles se apresentou e disse que era do Maranhão. Ao que Jair Bolsonaro disse: “O governo do partido comunista do Brasil. Você já reparou que nos países comunistas, geralmente, o chefe é gordo”. Em volta deles, todos davam risadas.

“Coreia do Norte? Gordinho. Venezuela? Gordinho. Maranhão?”, disse Bolsonaro, sem mencionar o nome de Flávio Dino. Mesmo assim, os apoiadores pareceram entender de quem se tratava e deram risadas. Assista ao momento:

Flavio Dino rebate

Flavio Dino rebateu o comentário preconceituoso do presidente na noite de ontem (11), e o mandou ir trabalhar: “1. ‘Piada’, além de sem graça, repetida. Compatível com a notória escassez de neurônios do indivíduo”, disse o governador do Maranhão.

“2. Ao bisonho e fracassado ‘piadista’, faço uma conclamação: Vai trabalhar. Os problemas federais são cada dia mais graves: inflação, desemprego, aumento dos combustíveis etc”, concluiu Dino. Confira o tuíte:

Bolsonaro compara Maranhão à Venezuela

Em maio do ano passado, Jair Bolsonaro usou suas redes sociais para comparar o Maranhão à Venezuela. O presidente da República havia compartilhado um vídeo de policiais fazendo fiscalização dentro de um ônibus por conta do “lockdown” e comparou com o país venezuelano.

À época, ele comentou sobre o vídeo: “Assim o povo está sendo tratado e governado pelo PCdoB/MA e situações semelhantes em mais estados. O chefe de família deve ficar em casa passando fome com sua família. Milhões já sentem como é viver na Venezuela”.

O governador Flavio Dino logo rebateu: “Bolsonaro inicia o domingo me agredindo e tentando sabotar medidas sanitárias determinadas pelo Judiciário e executadas pelo Governo. E finge estar preocupado com o desemprego. Deveria então fazer algo de útil e não ficar passeando de jet ski”.

Edição: Vitor Fernandes
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários