Cabeleireiro ensina cuidados com cabelos crespos de crianças e vê engajamento ‘bombar’: ‘São o nosso futuro’

sobrinhas
Sobrinhas ajudam profissional a mostrar cuidados com cabelos crespos e cacheados (Reprodução/@rogersoares98/Instagram)

Um vídeo publicado no Instagram do cabeleireiro Roger Soares, do Rio de Janeiro, tem encantado internautas de diferentes partes do país. A publicação dá dicas de como cuidar de cabelos crespos e cacheados de crianças, enquanto mostra o tratamento nas madeixas das sobrinhas do profissional.

A fofura é tanta que o post no Instagram já alcançou mais de 11 milhões de visualizações. Ao BHAZ, o cabeleireiro fala sobre a importância de conteúdos como este. 

Roger conta que teve a ideia de fazer o vídeo para ajudar de alguma forma pessoas que acompanham suas redes. “Muita gente que me segue não tem a possibilidade de vir até o salão fazer o cabelo comigo”, diz. 

Foi aí que decidiu gravar os momentos de cuidado com o cabelo das sobrinhas, de 8 e 5 anos. “Sempre que falo com elas ‘vamos hidratar o cabelo’, gera um pequeno desespero”, relata ele, contando como as meninas associam a experiência de cuidar do cabelo à dor.

O tio, então, resolveu fazer um salão de beleza em casa com as meninas e foi um sucesso: “Não teve um choro”. 

A repercussão do post foi tão grande, que o número de seguidores do profissional deu um salto e chegou a mais de 90 mil: “Fiquei impressionado, antes cerca de 15 mil pessoas me acompanhavam”.

Falta de informação

O cabeleireiro segue explicando que muitos pais de crianças com cabelos crespos e cacheados não sabem como tratar os fios de maneira correta, o que reforça o estigma de que cabelos crespos são mais ‘difíceis’ de lidar. 

Ele conta que não é incomum receber pais e mães que fazem químicas no cabelo das crianças com a intenção de ‘melhorar’ o cuidado com os fios.

Por isso, ele considera importante a divulgação de conteúdos informativos sobre essas curvaturas. “86% das pessoas Brasil tem cabelo cacheado ou crespo, mas a falta de informação sobre como cuidar desse tipo de cabelo ainda é muito grande”.

“Isso a gente pode associar totalmente à questão do racismo estrutural, né? Porque a beleza voltada para as pessoas pretas era, no caso de quem tinha condição, ligada aos alisamentos e relaxamentos. Nunca cuidar do cabelo natural”.

‘Elas são nosso futuro’

Roger conta que pretende continuar publicando informações sobre o assunto e revela que pretende criar um quadro em seu Instagram, no qual vai falar especificamente sobre cuidados com os cabelos de crianças.

“Acho que trabalhar essa questão da autoestima nas crianças é muito importante, porque elas são nosso futuro. Uma criança que cresce amando o cabelo, consegue ter autoestima para lidar com outras situações da vida”, finaliza.

Edição: Roberth Costa
Isabella Guastiisabella.guasti@bhaz.com.br

Assistente de Mídias Digitais e Redatora do BHAZ desde 2021. Jornalista graduada pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Comentários