Diretora é afastada após alunos encontrarem câmeras escondidas em banheiros de escola

escola estadual mooca sp
Diretora da instituição de ensino foi afastada e estudante foi suspenso por uma semana (Reprodução/Google Street View + Reprodução/Redes sociais)

A diretora da Escola Estadual Oswaldo Cruz, no bairro da Mooca, Zona Leste de São Paulo, foi afastada das funções após alunos encontrarem câmeras escondidas nos banheiros do colégio na última sexta-feira (24). Segundo a Secretaria de Educação, a instalação dos equipamentos não é prevista nas diretrizes da pasta.

Segundo o jornal O Globo, um estudante do terceiro ano do Ensino Médio foi flagrado fumando maconha em uma das cabines do banheiro masculino. A diretora o chamou na sala dela e, para comprovar a acusação, mostrou uma foto. Ela alegou que a imagem tinha sido fornecida por outro aluno, mas o jovem acabou desconfiando da história.

Após a suspeita, ele voltou ao banheiro e encontrou o equipamento escondido no rejunte dos azulejos. Depois disso, uma segunda câmera ainda foi encontrada no banheiro feminino por outra estudante.

Em nota (leia abaixo na íntegra), a Seduc-SP (Secretaria de Educação de São Paulo) informa que a instalação de câmeras em banheiros não faz parte das diretrizes da pasta. Os equipamentos já foram retirados, e uma apuração foi instaurada para averiguar as circunstâncias da ocorrência. A diretora foi afastada.

Já o estudante foi suspenso, por sete dias, pelo uso da substância vedada por lei. “Os responsáveis foram previamente notificados do fato e o caso inserido na plataforma Conviva SP – Placon, que acompanha o registro de ocorrências escolares na rede estadual de ensino”, diz um trecho do comunicado.

Nota da Seduc-SP na íntegra

A Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (Seduc-SP) informa que a instalação de câmeras dentro de banheiros não faz parte das diretrizes da Pasta. Os equipamentos já foram retirados e uma apuração preliminar instaurada para averiguar todas as circunstâncias relativas aos fatos. A diretora da unidade foi afastada até a conclusão das investigações.  

Em relação ao estudante, informamos que por questões disciplinares, no último dia 23, ele foi afastado das atividades presenciais por sete dias, de acordo com o regimento escolar. Os responsáveis foram previamente notificados do fato e o caso inserido na plataforma Conviva SP – Placon, que acompanha o registro de ocorrências escolares na rede estadual de ensino.

Nicole Vasquesnicole.vasques@bhaz.com.br

Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Comentários