Duda Salabert é eleita uma das 50 personalidades LGBT mais influentes

Duda Salabert
Vereadora considera a conquista uma vitória simbólica, mas ainda espera vitórias concretas (Reprodução/duda_salabert/Instagram)

A vereadora mais votada da história de Belo Horizonte e primeira transexual eleita na cidade, Duda Salabert (PDT), foi escolhida uma das 50 personalidades LGBT mais influentes do Brasil em 2020. A lista foi selecionada pela Guiya, editora que promove o turismo gay, dá visibilidade a estabelecimentos e eventos dedicados ao público LGBT e gera informações confiáveis sobre o segmento.

“Por ser trans, foi um dos rostos que estamparam reportagens pelo Brasil para mostrar a diversidade de integrantes do Poder Legislativo que vão comandar as cidades nos próximos quatro anos. Recentemente, criticou colegas de agremiação por votos contra a cidadania trans na Câmara dos Deputados, o que provocou anúncio público do presidente pedetista”, diz o texto da editora.

“Feliz por estar na lista dos 50 lgbt mais influentes. É uma vitória simbólica, mas o que queremos são vitórias concretas: políticas que combatam o genocídio contra comunidade trans. Lembrando que neste ano aumentou 22% o n° de assassinatos de pessoas trans”, escreveu Duda Salabert, que ficou no 25º lugar da lista, nas redes sociais.

Outras personalidades selecionadas pela lista são a cantora Anitta, que é bissexual e recebeu o primeiro lugar, a drag queen Pabllo Vittar, que ficou em segundo, e Fabiano Contarato (Rede-ES), primeiro e único senador gay do Brasil.

Mais votada

Duda Salabert recebeu 37.613 votos nas eleições de 2020 em BH, ultrapassando o recorde que antes era da deputada federal Áurea Carolina (Psol), eleita vereadora em 2016 com 17.420 votos. “Quando uma travesti avança a sociedade inteira avança. Vivemos em um país que mata mais travestis no planeta. A vitória de uma travesti é a vitória dos Direitos Humanos. BH deu resposta para a América Latina, para o governo federal dizendo que os Direitos Humanos são inegociáveis”, disse ela no dia da eleição, em entrevista exclusiva ao BHAZ.

No início deste mês, a vereadora recebeu ameaças de morte e ataques transfóbicos pela internet (relembre aqui). A parlamentar recebeu um email assinado por um grupo neonazista no qual sofre xingamentos discriminatórios e intimidações: “Vou te matar”. A mensagem ainda promete fazer “um mar de sangue” no colégio Bernoulli, onde Duda leciona, assim que a unidade voltar com as aulas presenciais.

Edição: Roberth Costa
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021, além de figurar entre os finalistas do Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados.

Comentários