VÍDEO: Modelo Bruno Krupp é preso após atropelar e matar adolescente no Rio

Bruno Krupp e João Gabriel Cardim
Bruno Krupp já foi denunciado à polícia por estelionato e por estupro (Reprodução)

O modelo e influenciador Bruno Krupp, de 25 anos, foi preso nesta quarta-feira (3) em um hospital no bairro Méier, Zona Norte do Rio de Janeiro. Ele atropelou e matou o estudante João Gabriel Cardim Guimarães, de 16 anos, ao andar de moto em alta velocidade, no último sábado (30).

A Polícia Civil cumpriu o mandado de prisão preventiva por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, após a juíza Maria Isabel Pena Pieranti decretar a medida. Na decisão, consta que João Gabriel foi atropelado ao atravessar a rua na faixa de pedestre, na avenida Lúcio Costa, Barra da Tijuca.

Bruno Krupp foi transferido para um hospital no Méier depois de receber os primeiros atendimentos no hospital Lourenço Jorge, o mesmo para o qual João Gabriel foi socorrido. O adolescente teve a perna esquerda amputada e, apesar de ter sido levado à unidade de saúde, não resistiu e faleceu ainda no sábado.

O caso

De acordo com o pedido de prisão, feito por um delegado da 16ª DP, o modelo de 25 anos andava de moto em alta velocidade quando atropelou o adolescente, por volta das 22h50 do sábado. Ele corria a mais mais de 150km/h, numa via cujo limite de velocidade é de 60km/h.

Na manifestação pela prisão preventiva, o delegado ressaltou que Bruno Krupp já foi denunciado à polícia por estelionato e por estupro.

“Ademais, três dias antes dos fatos ora em comento, Bruno fora parado em uma blitz, sem habilitação, com a mesma moto sem placa e, mais, recusando-se a fazer teste do bafômetro”, completa o pedido. O modelo também não portava habilitação no dia do acidente.

Prisão preventiva

A juíza Maria Isabel Pena Pieranti reforçou que, mesmo depois de ter sido parado na blitz, ele “persistiu numa conduta assaz perigosa, cujo resultado era plenamente previsível, em uma via de muito movimento,
quando a vítima atravessava na faixa de pedestres, imediatamente abaixo do semáforo”.

A magistrada ainda defende que a Justiça não pode ficar inerte diante do ocorrido, que “ceifou violentamente a vida de um jovem”, além de argumentar que a prisão de Bruno Krupp é imprescindível para evitar que ele cometa outros crimes iguais.

“Não foi o bastante que tivesse sido parado pelos agentes da Lei Seca. Ser pego na situação já descrita não teve qualquer efeito didático. Ao contrário, adotou conduta mais ainda letal, acabando por tirar a vida de um
jovem que estava acompanhado de sua mãe, ressaltando-se que Bruno não é um novato nas sendas do crime”, escreveu Pieranti.

Edição: Vitor Fernandes
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Comentários