VÍDEO: Procurador agride chefe na prefeitura após abertura de processo disciplinar

procuradora agredida
Procuradora-geral de Registro foi brutalmente agredida por colega de trabalho (Reprodução/Redes sociais + TV Tribuna)

A procuradora-geral de Registro, no interior de São Paulo, foi brutalmente agredida por um colega de trabalho na prefeitura. O crime contra Gabriela Samadello Monteiro de Barros, de 39 anos, foi filmado por outra funcionária e mostra o momento em que o também procurador Demétrius Oliveira Macedo, 34 anos, desferiu socos e chutes na chefe. A Polícia Civil investiga o caso.

A vítima estava trabalhando antes do início das agressões nessa segunda-feira (20). As imagens, registradas por volta das 16h50, mostram o agressor atacando a vítima de forma brutal, enquanto outras funcionárias tentam ajudar a procuradora-geral. O criminoso ainda agride uma das funcionárias, que tentava ajudar Gabriela, e a mulher acaba batendo com as costas em uma porta.

O procurador segue com as agressões e desfere socos no rosto da vítima. Além do ataque físico, também é possível ouvir que o homem xinga a mulher. Após algum tempo, a vítima, finalmente, é retirada da frente do criminoso. No momento em que ouvem os gritos, dois funcionários aparecem no local e conseguem segurar o agressor.

ATENÇÃO: As imagens são fortes e podem ser consideradas perturbadoras para algumas pessoas:

‘Desrespeito global da minha personalidade como mulher’

De acordo com o g1, a agressão teria sido motivada por conta da abertura de um processo administrativo contra o procurador pela sua conduta dentro do ambiente de trabalho. O caso foi registrado no 1º DP (Distrito Policial) da cidade.

Em entrevista a TV Tribuna, a procuradora-geral falou sobre o caso e desabafou. “Eu estava saindo da repartição quando ele veio na minha direção de forma violenta e me desferiu uma cotovelada. Foi exposta a minha dignidade. Como mulher, fui desrespeitada, também como servidora pública. Foi um desrespeito global da minha personalidade como mulher”.

Afastamento

Por meio de nota (leia abaixo na íntegra), a prefeitura de Registro disse que manifesta “o mais absoluto e profundo repúdio aos brutais atos de violência realizados pelo Procurador Municipal contra a servidora municipal mulher que exerce a função de Procuradora Geral do Município”.

A administração municipal informou que o procurador já foi afastado de suas atividades. “Reafirmamos nosso compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres”.

Por fim, o município disse que “os servidores da Procuradoria Geral Municipal e da Secretaria de Negócios Jurídicos receberão todo apoio necessário, inclusive acompanhamento psicológico”.

Repúdio

A Associação Nacional dos Procuradores dos Estados e do DF (Anape) também manifestou repúdio, por meio de nota (leia abaixo na íntegra) aos atos cometidos pelo procurador. “A agressão, feita pelo procurador municipal, precisa ser severamente punida, como forma de assegurar o restabelecimento do Estado Democrático de Direito”.

O órgão ainda salienta que o ataque violento “desrespeita os direitos e princípios fundamentais dos cidadãos e atinge a esfera moral e ética de todos os advogados públicos e advogadas públicas que exercem com rigor seu papel na sociedade”.

A Ordem dos Advogados do Brasil Secional de São Paulo (OAB SP) também repudiou o crime cometido pelo agressor. Por meio de nota (leia abaixo na íntegra), a OAB disse que “não tolera nenhuma forma de violência contra a mulher e manifesta sua solidariedade em relação a todas as mulheres envolvidas nesse episódio”.

A OAB ainda informou que já tomou as providências disciplinares cabíveis, “enfatizando que seguirá seu firme propósito no combate à violência contra a mulher, seja doméstica, seja em seu local de trabalho”.

A Polícia Civil de São Paulo informou que o caso foi registrado como lesão corporal e que ouviu e liberou o agressor. A corporação afirma que “aguarda o resultado dos exames periciais para análises e elucidação dos fatos” e que “detalhes serão preservados para garantir a autonomia ao trabalho policial”.

Nota da prefeitura de Registro

“A Prefeitura de Registro manifesta o mais absoluto e profundo repudio aos brutais atos de violência realizados pelo Procurador Municipal contra a servidora municipal mulher que exerce a função de Procuradora Geral do Município, fatos ocorridos na última segunda-feira (20/6).

Que a vítima e sua família recebam toda nossa solidariedade, apoio e cada palavra de conforto e acolhimento.

A administração municipal está tomando as providências necessárias e já determinou de imediato que o agressor seja suspenso, nos termos do art. 179, c/c inc. III do art. 180, ambos da Lei Complementar nº 034/2008 – Estatuto dos Servidores Públicos do Município de Registro, com prejuízo de seus vencimentos, a partir de 21 de junho.

Reafirmamos nosso compromisso com a prevenção e enfrentamento a todas as formas de violência, principalmente aquelas que vitimizam mulheres.

Os servidores da Procuradoria Geral Municipal e da Secretaria de Negócios Jurídicos receberão todo apoio necessário, inclusive acompanhamento psicológico.

Por fim, aos demais servidores desta municipalidade recebam nosso amparo e saibam que a prática de violência é veementemente repudiada e será severamente punida pela Administração Municipal”.

Nota da Anape

“A Associação Nacional dos Procuradores dos Estados e do DF (Anape) vem manifestar repúdio ao violento ataque sofrido pela procuradora-geral do município de Registro (SP), Gabriela Samadello Monteiro de Barros, durante seu exercício profissional nesta terça-feira (21/06). A agressão, feita pelo procurador municipal, precisa ser severamente punida, como forma de assegurar o restabelecimento do Estado Democrático de Direito.

O ataque violento desrespeita os direitos e princípios fundamentais dos cidadãos e atinge a esfera moral e ética de todos os advogados públicos e advogadas públicas que exercem com rigor seu papel na sociedade. É fundamental que os procuradores tenham segurança e autonomia para exercer sua função essencial à Justiça. A Anape manifesta sua solidariedade à procuradora que estava no desempenho pleno das suas funções profissionais”.

Nota da OAB SP

“A Ordem dos Advogados do Brasil Secional de São Paulo (OAB SP), por meio das Comissões da Mulher Advogada e da Advocacia Pública, vem a público repudiar o ato de violência praticado contra a procuradora-geral do município de Registro (SP), covardemente agredida por um colega dentro da própria Prefeitura da cidade.

A OAB SP não tolera nenhuma forma de violência contra a mulher e manifesta sua solidariedade em relação a todas as mulheres envolvidas nesse episódio. Reafirmamos o compromisso da entidade com a promoção da igualdade e defesa intransigente dos direitos das mulheres e da liberdade profissional.

A OAB SP informa que já tomou as providências disciplinares cabíveis, enfatizando que seguirá seu firme propósito no combate à violência contra a mulher, seja doméstica, seja em seu local de trabalho”.

Nota da Polícia Civil

O caso foi registrado como lesão corporal e é investigado pela DDM de Registro. A equipe da unidade já ouviu a vítima e o agressor e aguarda o resultado dos exames periciais para análises e elucidação dos fatos. Detalhes serão preservados para garantir a autonomia ao trabalho policial.

Vitor Fernandesvitor.fernandes@bhaz.com.br

Editor e repórter do BHAZ desde fevereiro de 2017. Jornalista graduado pela PUC Minas, com experiência em redações de veículos de comunicação. Trabalhou na gestão de redes do interior da Rede Minas e na parte esportiva do Portal UOL. Com reportagens vencedoras nos prêmios CDL (2018, 2019, 2020 e 2022), Sindibel (2019), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários