Repórter reencontra dona de casa que viralizou ao chorar por falta de comida e caso tem reviravolta do bem

janete
O relato de Janete Evaristo, que vive em situação de insegurança alimentar, arrancou lágrimas de telespectadores e repercutiu nas redes (Reprodução/@livtorres/Twitter)

Após emocionar milhares de telespectadores e internautas com seu relato sobre a fome nessa terça-feira (21), a moradora do Rio de Janeiro, Janete Evaristo, foi abraçada por uma grande rede de solidariedade. Em nova reportagem veiculada hoje (22) no RJTV, a mulher agradece pelas doações que recebeu e já planeja um futuro melhor para a família.

“Quero reformar a minha casa, pagar a faculdade da minha neta, pagar a formatura dela. Meu neto queria jogar futebol. E voltar a estudar, que seria meu sonho, pra ter um trabalho digno e mostrar meus netos que eu posso”, disse ela à repórter Lívia Torres.

Dona Janete vive com os cinco netos na Vila Isabel, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Apesar da insegurança alimentar enfrentada pela família, ela diz sempre tentar compartilhar o que tem com os vizinhos que, muitas vezes, se encontram em uma situação ainda mais difícil que ela.

“Onde eu moro tem uma senhora, que na sexta-feira eu ganhei dois quilos de fubá e um macarrão. Ela foi lá bater na porta e perguntou ‘você tem alguma coisa?’ Eu falei ‘só tenho isso’. Ela tava com R$ 2 pra comprar pra comprar salsicha. Eu tava com R$ 6, dei R$ 3 pra ela e fiquei com R$ 3″, disse.

‘Janete deu cara à causa’

Janete é uma das 800 mulheres beneficiadas pela ONG carioca “Anjos da Tia Stellinha”, que há sete anos oferece apoio a famílias em situação de pobreza extrema no Morro dos Macacos, na Vila Isabel. Nas redes, a idealizadora do projeto conta que dezenas de pessoas tentaram contato com Janete para oferecer doações.

“Muitas pessoas entraram em contato com a ong para ajudar a Janete. A soma da doação é um valor vultuoso, se tivéssemos uma meta, com certeza teria ultrapassado. A família dela vai ficar em situação de segurança alimentar por um bom tempo”, compartilhou a assistente social Stella.

A presidente da ONG reforça, ainda, que Janete é apenas uma das milhares de mulheres que sofrem diariamente com a falta de alimentação e outros insumos básicos para a sobrevivência. “Precisamos ter a consciência que a Janete deu cara à causa, que é a desigualdade de gênero, as mães de favela que sofrem com a fome, o desemprego, a discriminação e a violência”, acrescenta ela.

Ainda no Instagram, Stella compartilhou o PIX do neto de dona Janete, Peterson Justino, instrumento utilizado para reunir as doações para a família. Quem quiser contribuir, basta enviar doações por meio da chave 18154021722.

Relembre

O relato de Janete Evaristo, 57, que vive em situação de insegurança alimentar arrancou lágrimas dos telespectadores do jornal RJ1, da TV Globo, e repercutiu nas redes sociais nessa terça-feira (21). Enquanto era entrevistada pela repórter Lívia Torres na fila do Prato Feito Carioca – programa municipal que leva comida a pessoas em vulnerabilidade – Janete Evaristo, 57, se emociona ao narrar a luta diária para alimentar a família (veja aqui).

“Domingo a gente não tinha nada para comer. Eu estou desempregada, está muito difícil. Eu estou catando latinha, mas não dá. Eu não tenho ajuda de muita gente, então domingo a gente não tinha mesmo nada. Está muito difícil”, disse ela, enxugando o rosto.

A mulher estava acompanhada do neto e também contou, com tristeza, ter perdido uma filha e o marido recentemente. Emocionada, a repórter se desculpou por ter abordado o assunto e, ao público, reforçou a importância de programas de assistência à população carente.

Edição: Roberth Costa
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários