Pesquisar
Close this search box.

Rio de Janeiro cancela Carnaval de rua em meio ao aumento repentino de casos da ômicron

Por

eduardo paes
Durante uma live, o prefeito Eduardo Paes disse que já se reuniu com os blocos e com os patrocinadores do evento (Reprodução/@eduardopaes/Instagram)

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), anunciou nesta terça-feira (4) que a “cidade maravilhosa” não terá carnaval de rua pelo segundo ano consecutivo. Durante uma live realizada no Instagram, ele diz que se reuniu com blocos de rua ainda hoje para comunicar a decisão, que leva em conta o aumento no número de casos da variante ômicron nas duas últimas semanas (veja abaixo).

“Infelizmente, eu falo aqui como um prefeito que gosta de Carnaval. Chamei pra uma reunião as ligas de blocos e informei a eles, infelizmente, da inviabilidade de termos carnaval de rua”, lamenta Paes.

Durante a live, ele diz que estuda alternativas para que a data não passe em branco. Em reunião com a Ambev, a principal patrocinadora do evento na cidade, o prefeito apresentou uma proposta para manter a cadeia produtiva dos blocos e permitir que a população possa festejar gratuitamente e em segurança.

“Eu propus hoje e a Ambev, a princípio topou, de a gente pegar cerca de 50 blocos tradicionais do Rio de Janeiro e levar para três locais da cidade onde pudéssemos estabelecer controle com passaporte vacinal e testagem”, conta.

Aumento repentino de casos de Covid

Ao lado de Paes, o secretário municipal de saúde Daniel Soranz deu um panorama do cenário epidemiológico que o município enfrenta. De acordo com ele, os casos de Covid-19 tiveram um aumento repentino nas duas últimas semanas.

“Faz 17 semanas que a gente teve redução nos casos de Covid e de repente a gente começa a ter um aumento de novos casos. Isso, é claro, é indicativo de uma nova variante. Felizmente, esses casos novos não estão gerando nem óbitos e nem internações”, explica.

Por outro lado, Soranz garante que o “surto” de Influenza H3N2 na cidade já foi contornado. “A epidemia de gripe não existe mais na cidade. A gente tem 82% menos casos de gripe do que a gente tinha na primeira semana de dezembro”, disse.

Larissa Reis

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog. Também participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Mais lidas do dia

Leia mais

Acompanhe com o BHAZ