Secretário do Tesouro diz que Auxílio Brasil, o novo Bolsa Família, será de R$ 300 mensais

ministério da economia ministro
Presidente Jair Bolsonaro editou decreto para aumentar IOF, arrecadar R$ 2 bilhões e bancar novo programa de transferência de renda (Thiago S. Araújo/Especial para o Metrópoles)

O secretário especial do Tesouro Nacional, Bruno Funchal (foto em destaque), disse, na manhã desta sexta-feira (17/9), que o Auxílio Brasil, programa de transferência de renda que deverá substituir o Bolsa Família, terá valor de R$ 300. O governo federal editou decreto para aumentar as alíquotas do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) e, assim, gerar arrecadação extra de R$ 2,14 bilhões, destinada a bancar o auxílio.

“A lógica é: terminando o auxílio emergencial [em outubro], cai no novo programa, ou seja, nos últimos dois meses [de 2021]. Por isso, essa compensação é necessária. E aí a gente tem a compensação aprovando [as alterações no] Imposto de Renda para 2022 e 2023 e precisa para novembro e dezembro, por isso foi editado o IOF. Uma parte do que foi editado é para compensação do Auxílio Brasil de R$ 300”, afirmou o secretário.

A informação foi anunciada durante o Fucape Open, realizado pela Fucape Business School em parceria com a XP Investimentos. O evento é transmitido ao vivo, na internet.

Leia a reportagem completa no Metrópoles, parceiro do BHAZ.

Metrópoles

O Metrópoles é um veículo de comunicação ágil, com linguagem acessível e totalmente focada no digital. Informar, escutar, interagir, debater, denunciar, diversificar, entreter e prestar serviço à sociedade do Distrito Federal e do país são especialidades do portal.

Comentários