‘Turma da Mônica’ retrata Rebeca Andrade com personagem branca e refaz homenagem após críticas

homenagem rebeca andrade
No primeiro post, a página utilizou uma ilustração da Magali, que é branca, para homenagear a atleta (Reprodução/@rebecarandrade/Instagram + @TurmadaMonica/Twitter)

O perfil no Twitter dedicado aos quadrinhos da “Turma da Mônica”, do ilustrador Maurício de Souza, teve que se retratar nessa quinta-feira (29). Após a conquista histórica da ginasta Rebeca Andrade nas Olimpíadas de Tóquio, a página utilizou uma ilustração da Magali, que é branca, para homenagear a atleta.

Os seguidores logo criticaram o desenho por não representar a cor de Rebeca e em poucos minutos o post foi apagado. Instantes depois, um novo desenho foi publicado, dessa vez, com uma personagem negra retratando a ginasta. “Brilha muito! Dia especial demais com Rebeca Andrade escrevendo seu nome na história da ginástica brasileira”, escreveu o perfil. Veja:

‘Representatividade muito grande’

Rebeca Andrade conquistou 57,298 pontos com sua performance embalada pelo funk “Baile de Favela” na final individual da ginástica artística, nessa quinta-feira (29). Com a pontuação, ela ficou atrás apenas da estadunidense Sunisa Lee.

A importante conquista de Rebeca, que se tornou a primeira brasileira a conquistar uma medalha na ginástica artística dos Jogos Olímpicos, emocionou muito a ex-ginasta Daiane dos Santos, que agora é comentarista da TV Globo. Para ela, o feito de Rebeca é enorme, já que há pouco tempo atrás pessoas negras eram impedidas de praticar certos esportes (veja aqui).

“Agora a gente tem a primeira medalha olímpica da ginástica artística é uma negra. Não tem muito tempo que as pessoas disseram que não poderia ter uma ginasta [negra], que as pessoas negras não poderiam fazer alguns esportes, e aí a gente vê hoje a primeira medalha para uma menina negra. Tem uma representatividade muito grande atrás de tudo isso”, disse Daiane.

Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários