Minas tem baixa adesão à vacinação infantil e preocupa autoridades; apenas 16% receberam a 1ª dose

baixa adesão vacinação infantil
Infectologista aponta que desconfiança dos pais ocorre em virtude das fake news (Divulgação/PBH)

De acordo com o Vacinômetro da SES-MG (Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais), somente 308.385 doses pediátricas da vacina contra Covid-19 foram aplicadas até o momento no estado. O número equivale a 16,58% do público-alvo e preocupa autoridades sanitárias, uma vez que crianças entre 5 e 11 anos precisam estar protegidas contra o vírus para o avanço da imunização.

As doses da vacina enviadas aos municípios mineiros somam 1.243.540, de acordo com a plataforma virtual da SES-MG. Já a macrorregião de saúde que mais vacinou foi a central, seguida pela do Sul e pela do Sudeste.

Tabela digital mostra números da vacinação no estado (Divulgação/SES-MG)

Grandes órgãos recomendam a vacina

Ao BHAZ, o presidente da Sociedade Mineira de Infectologia afirma que boa parte dos pais têm receios e dúvidas sobre imunizar ou não seus filhos. Uma das principais culpadas seria a onda de fake news que assola as redes sociais e influencia a decisão sobre a eficácia e segurança da vacinação contra Covid-19. Segundo Estevão Urbano, os cidadãos precisam abrir os olhos para a verdade.

“As redes sociais espalham fake news, mas a vacina é segura e efetiva, e isso é comprovado pelas pesquisas, pelas grandes sociedades nacionais e internacionais, como a Sociedade Brasileira de Pediatria, de Imunização e de Infectologia. Tudo baseado em ciência”, afirma o especialista.

O infectologista frisa que enfrentamos atualmente um “caos” em virtude desse tipo de dúvida, que compromete a adesão à vacinação infantil. “A desinformação também é um fator dominante. Então, cabe aos pais dessas crianças decidirem em acreditar nas fake news ou na seriedade dos organismos internacionais que abrigam grandes pesquisadores, médicos e cientistas”.

Imunização atua na queda da mortalidade

Estevão diz ainda que as pessoas têm que diferenciar aquilo que é superficial – embora muitas vezes convincente – do que é mais profundo. Além disso, uma dica para combater a baixa adesão à vacinação infantil é avaliar os fatos, em vez de dar atenção a suposições e rumores.

“Os fatos mostram que, depois da vacina, as taxas de mortalidade vêm diminuindo consistentemente. Pegue o que é paupável, avalie nos números, porque eles não mentem. O imunizante contra a Covid é recomendado por órgãos científicos de confiança, aqui no Brasil e também fora dele”, finaliza o infectologista.

Segundo o Secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti, o objetivo do novo Vacinômetro é estimular a campanha de imunização infantil. “Minas Gerais tem procurado divulgar as informações sobre doenças e o processo de vacinação com o máximo de transparência. O Vacinômetro, por exemplo, é uma ferramenta importante porque permite que os gestores de saúde e os profissionais de comunicação tenham acesso aos dados de forma clara, rápida e prática, melhorando, assim, o trabalho de compreensão e de divulgação da pandemia para a sociedade”, explica.

Desde sexta-feira passada (4), os números da imunização infantil estão sendo divulgados no painel digital do site da SES-MG. Lá, existe um detalhamento dos dados sobre a cobertura vacinal de crianças em Minas, além das outras faixas etárias. O usuário pode filtrar as buscas conforme desejar, por município, microrregião e até magrorregião de saúde.

Edição: Vitor Fernandes
Nicole Vasquesnicole.vasques@bhaz.com.br

Graduanda em Jornalismo pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2022.

Comentários