Limpa nome: Saiba consultar e quitar dívidas na Serasa e SPC

serasa score
Aplicativo do Serasa Score traz informações sobre vida financeira. (Moisés Teodoro/BHAZ)

Limpa nome e nome sujo na praça são expressões populares que foram inseridas no vocabulário do brasileiro há algumas décadas. 

Elas surgiram antes mesmo da existência da Internet e têm origens quando os antigos comerciantes se reuniam em praças públicas para trocar informações sobre a pontualidade de pagamentos dos clientes.

Ou seja, naquela época, era comum alguém que não honrava com suas dívidas ter o “nome sujo na praça”. Já a expressão “limpa nome” vem como uma solução da quitação do compromisso. 

Em outras palavras, ao pagar o que devia, o cliente era capaz de sair desta lista de negativados.

Neste artigo, o BHAZ irá abordar as questões jurídicas das dívidas, o problema de possuí-las, como quitá-las e como fazer para não estar nos cadastros de inadimplentes.

Além disso,  vamos explicar mais sobre o assunto e auxiliar de forma completa como é possível ser um consumidor consciente. E vamos ensinar passo a passo como é o processo do Limpa Nome.

O que é ter o nome sujo?

Ter o “nome sujo” quer dizer que uma pessoa fez uma compra ou contratou um serviço, mas não pagou por ele integralmente.

Ou seja, ela está devendo dinheiro, seja porque não quitou parcelas, não pagou a fatura do cartão ou deixou de pagar a conta do celular, entre outros.

Contudo, ao deixar de pagar uma dívida, há um período de tolerância antes de o nome ficar sujo. Esse tempo pode variar de empresa a empresa, mas sempre envolve a notificação direta do cliente de que ele tem valores em aberto.

Se os avisos são ignorados, a empresa credora (a quem se deve) pode mandar o nome do cliente para as listas de restrição dos órgãos de proteção ao crédito.

Se passarem 10 dias desde o envio do nome e a dívida não foi paga, o nome fica sujo. Ou seja, entra, oficialmente, para os registros de consumidores inadimplentes.

Por isso, ao receber um aviso de dívida em aberto, o ideal é que a pessoa procure a empresa que enviou a notificação e pague os valores devidos. Depois disso, o nome pode ser negativado.

É importante considerar que os três principais serviços funcionam de forma independente, ou seja, a restrição pode ser apenas em um dos órgãos ou em todos ao mesmo tempo. 

Logo, em caso de dívidas em aberto, é recomendado consultar os sistemas de todos os órgãos de proteção ao crédito.

Órgãos de proteção ao crédito e o limpa nome: como funcionam?

Os órgãos de proteção ao crédito, também chamados de birôs de crédito, são uma espécie de central de informações sobre movimentações financeiras, e também são responsáveis por administrar o processo de Limpa Nome. 

Em outras palavras, eles reúnem as informações de crédito e hábitos de cada consumidor, tanto os pagamentos em dia como aqueles que estão atrasados.

O maior deles, a Serasa Experian, funciona no Brasil há mais de 50 anos e oferece também outros serviços para várias etapas de um negócio, sendo bastante utilizado por bancos e empresas que lidam com o crediário, como lojas de médio e grande porte.

Por sua vez, o SCPC é administrado pelo banco Boa Vista e disponibiliza informações sobre inadimplência tanto de pessoas físicas quanto de pessoas jurídicas.

Por último, temos o SPC, que surgiu vinculado a associações comerciais e à Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL). Seu diferencial está em possuir um banco de dados com informações de inadimplentes no comércio em geral, e ele também oferece um sistema virtual de Limpa Nome.

Além disso, o SPC vende essa informação a outras empresas que pretendem fazer consulta prévia antes da liberação de crédito a um cliente.

Como saber se meu nome está limpo?

O SPC, o Serasa e o SCPC disponibilizam site e aplicativos que permitem ao consumidor saber a situação do seu nome, de forma gratuita. Alguns também disponibilizam o recurso do Limpa Nome, facilitando o pagamento da dívida.

No Serasa, o cadastro é feito pelo app ou site, com informação de CPF e criação de senha.

Além disso, o cliente também pode consultar seu score de crédito, que funciona como uma pontuação de 0 a 1000, baseada no seu histórico financeiro. 

Quanto maior o score, melhor a chance de obter financiamentos com menores juros e maior acesso a crédito. Essa é uma das razões pelas quais é importante solicitar as informações para fazer o Limpa Nome.

Já a consulta do SPC pode ser feita através do site oficial ou app do SPC, onde o consumidor irá preencher os dados pessoais, criar uma senha e baixar o autenticador do Google. 

Essa última ferramenta funciona como uma camada extra de proteção e gera um segundo código, que deve ser utilizado em todos os acessos ao sistema Limpa Nome do SPC.

Na plataforma, é possível verificar, gratuitamente, o score do consumidor (que pode ser diferente do Serasa), cheques protestados e histórico de pagamentos.

Por último, o Boa Vista SCPC também possui cadastro grátis e disponibiliza informações similares aos demais. Para acessar, basta acessar o site oficial e a guia “Para você”, no alto da página.

Todas as consultas são individuais e realizadas para o CPF do consumidor cadastrado.

Como limpar o nome?

Após ter feito a consulta para verificar se há nome sujo, é possível utilizar o recurso Limpa Nome, caso seja descoberta alguma restrição. De modo geral, há dois caminhos que o consumidor pode seguir a fim de quitar as dívidas. 

O primeiro é acessar os sites de proteção ao crédito e consultar qual empresa foi responsável pela negativação. 

Neste momento, conforme o que está informado no site, é possível entrar em contato com a empresa responsável pelo registro e solicitar o pagamento ou renegociação da dívida, o que corresponde ao processo de Limpa Nome.

Há casos, ainda, em que a dívida está sob responsabilidade de uma empresa terceirizada, que disponibilizou, no próprio órgão de proteção, um boleto para renegociação de dívida. 

Nessa hora, é recomendado considerar o pagamento de forma realista, pois uma renegociação que não foi paga mantém o nome sujo e prorroga o prazo em que o ele permanece negativado.

Em caso de parcelamento da dívida, o nome é limpo após o pagamento da primeira parcela, mas apenas a quitação completa garante que a dívida não gera mais a negativação.

Se as parcelas seguintes não forem pagas, o nome volta para os cadastros de proteção.

Serasa Limpa Nome

Anualmente, o Serasa realiza uma espécie de Feirão Limpa Nome com empresas parceiras do órgão. O órgão disponibiliza em seu site algumas negociações para consumidores inadimplentes quitarem suas dívidas e deixarem de ter o nome sujo.

O acesso é feito pelo mesmo site onde se realiza as consultas e, caso haja ofertas para o consumidor, elas aparecem em destaque após realizar o login. 

Contudo, é importante considerar que mesmo fora do Feirão Limpa Nome, é possível solicitar a renegociação das dívidas relacionadas no site. O que muda são os valores, as condições de pagamento e até mesmo os descontos.

Para saber mais como funcionam esses feirões, confira a matéria do BHAZ sobre o Feirão 2021 do Limpa Nome.

Como limpar nome no SPC?

Já através do sistema do SPC, para fazer o Limpa Nome, o consumidor pode procurar a CDL ou a Associação Comercial de sua cidade. Outra possibilidade é acessar o site, e verificar se há pendências financeiras com alguma empresa.

Com o extrato em mãos, basta dirigir-se ao estabelecimento onde o débito está registrado e pagar a conta no local ou banco indicado pelo comerciante.

Após a confirmação do pagamento, a empresa tem até 5 dias úteis para cadastrar que foi feito o Limpa Nome, excluindo o registro do CPF da lista de negativados.

A própria empresa vinculada ao SPC irá intermediar com o CDL ou associação a retirada do nome sujo da lista do órgão.

Uma dica importante é não cair em golpes ou buscar uma forma “mágica” de solucionar esta questão, visto que, conforme noticiado em 2021 pelo BHAZ, há fraudadores que prometem limpar o nome mediante pagamentos. 

A medida é ilegal e não possui eficácia.

Limpa nome: quais são as consequências do nome sujo?

Em geral, ter o nome sujo e não procurar as ferramentas corretas para limpá-lo irá impactar de forma negativa em dois pontos. São eles:

  • Dificuldade em obter crediário: tanto em lojas físicas quanto na obtenção de cartões de crédito, limites de cheque especial ou financiamentos, o nome sujo irá impedir o acesso ao crédito. Além disso, a instituição bancária pode limitar ou bloquear créditos existentes. Em casos em que o cliente não possua conta em bancos, ficará restrito à abertura de uma conta simples, sem direito a crédito.
  • Baixo “score”: ao estar registrado como devedor e não quitar as dívidas, realizando o processo do Limpa Nome, o consumidor fica com nota baixa no “score” de créditos. Assim, ao ser analisado por instituições financeiras, terá serviços negados.

Outra informação importante sobre o Limpa Nome está relacionada à questão do prazo de cinco anos para que a dívida expire e não seja preciso pagá-la. 

Essa informação é falsa e a medida não é interessante. De fato, após esse prazo, o nome sai dos registros de inadimplência. Contudo, a dívida continua existindo. 

Ou seja, o banco ou estabelecimento pode manter as restrições de crédito e até mesmo continuar cobrando. Também é possível que o credor processe o devedor, o que pode multiplicar os valores devidos.

Ou seja, o consumidor vai ter o nome limpo, mas permanecer com a dívida.

Não deixe de acompanhar o Portal BHAZ para mais informações e notícias sobre Belo Horizonte, Minas Gerais e Brasil.

Hugo Almeida
Hugo Almeidahugo.almeida@bhaz.com.br

Estudante de Publicidade e Propaganda no UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte). Atua com foco no Marketing do Portal BHAZ.

Comentários