Atlético anuncia venda do restante do Diamond Mall por R$ 340 milhões

galo diamond mall shopping
A venda do shopping deve ajudar no pagamento de uma parte das dívidas do clube (Divulgação/Atlético)

O Galo anunciou na noite de ontem (2) a confirmação da venda do restante do shopping Diamond Mall detido pelo clube, a porcentagem de 49,9%, pelo valor de R$ 340 milhões. Por meio de comunicado oficial, o Atlético informou ter sido notificado pela Multiplan Empreendimentos Imobiliários S.A., que vai exercer o direito de preferência para aquisição do percentual.

A empresa já detém o restante do empreendimento. Ainda de acordo com o time alvinegro, “a conclusão da negociação está sujeita ao cumprimento de condições precedentes usuais em negócios dessa natureza, entre elas a aprovação do CADE [Conselho Administrativo de Defesa Econômica]”.

Repercussão

A diretoria do Galo considera crucial a venda do Diamond para auxiliar no pagamento de uma parte de dívidas milionárias a curto prazo (entenda aqui). Nas redes sociais, alguns torcedores aplaudiram a concretização do negócio, enquanto outros se mostraram menos favoráveis.

“A venda do shopping organiza a vida financeira do clube com foco no futebol. Mas não resolve. Ainda terá 1 bilhão de dívidas”, escreveu um torcedor. “Vai continuar devendo, sim, mas as dívidas estarão muito mais equacionadas. Como qualquer empresa”, respondeu outro. Leia alguns comentários:

Galo e Diamond

Em maio deste ano, o clube promoveu a segunda edição do “Galo Business Day”, com as demonstrações financeiras da temporada de 2021, incluindo o detalhamento da dívida.

A dívida “onerosa” apresentada pelo Atlético corresponde a R$ 470 milhões, 38% do valor global (R$ 1,184 bilhão). A parcela “onerosa” exige ação imediata e conta com juros, multas e correções em valores altos. Apenas em 2021, R$ 87 milhões de despesas foram gerados em decorrência desse endividamento.

Dívida bilionária

A fim de resolver o problema a curto prazo, o Galo trabalhou para a venda de 49,9% do Diamond Mall, localizado na região centro-sul de BH. O valor da negociação, agora oficializado em cerca de R$ 340 milhões, ajudaria no pagamento de grande parte da dívida “onerosa”. No final de maio, a venda do restante do shopping foi aprovada pelo Conselho Deliberativo, decisão comemorada pelo clube na época.

Além disso, o endividamento atleticano também é composto de receita antecipada, PROFUT, parcelamento de impostos e dívida não onerosa. Vale lembrar que em fevereiro deste ano, o presidente Sérgio Coelho afirmou que o Galo tem a maior dívida do Brasil (detalhes aqui). Confira:

O endividamento do Atlético (Reprodução/YouTube/GaloTV)
Edição: Vitor Fernandes
Beatriz Kalil Otherobeatriz.othero@bhaz.com.br

Graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre esportes para o BHAZ. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2021 e 2022. Também produziu reportagens premiadas pela Rede de Rádios Universitárias do Brasil em 2020.

Comentários