Foto de Bolsonaro com a camisa da Lazio provoca reações na web; Entenda

bolsonaro lazio futebol
Foto gerou debate nas redes sociais (Reprodução/Twitter/@mfriasoficial)

Uma foto publicada na noite de ontem (19) por Mário Frias, ex-secretário de Cultura do Governo Federal, foi motivo de debate no Twitter. No registro, ele aparece assistindo o jogo entre Internacional e Botafogo ao lado do presidente Jair Bolsonaro, que usa a camisa do time italiano Lazio. A escolha do uniforme do político chamou atenção dos usuários nas redes sociais, que lembraram alguns fatos históricos que relacionam o clube italiano e parte de sua torcida ao fascismo no país.

Lazio e Benito Mussolini

O ditador italiano Benito Mussolini, que comandou o país entre 1922 e 1943, não era torcedor declarado da Lazio, já que costumava utilizar o futebol em geral como instrumento de propaganda. Porém, se tornou sócio do clube e frequentou diversos jogos da equipe.

Com isso, alas mais radicais da torcida da Lazio passaram a venerar Benito e as ideias fascistas defendidas em seu governo. Além disso, esses grupos já fizeram homenagens ao ex-ditador italiano, tanto no século passado como na atualidade.

Irriducibili

Criado em 1987, o grupo Irriducibili, de torcedores do Lazio, encerrou suas atividades em 2020. Ao longo dos anos, seus membros já protagonizaram atos de antissemitismo, racismo e saudações ao fascismo.

No ano de 1992, a Lazio contratou o meio-campo holandês Aron Winter. Ele se tornou o primeiro jogador negro a vestir a camisa do clube, onde esteve até 1998. Já nos primeiros dias em Roma, Winter foi alvo de pichações no muro do centro de treinamento do time. Descendente de judeus, o atleta sofria vaias e ataques racistas da ala mais radical da torcida, que também exibiu suásticas contra ele no estádio.

Durante o jogo entre Roma e Lazio na temporada 1998/1999, os Irriducibili exibiram uma faixa com os dizeres: “Auschwitz vossa Pátria, os fornos vossas casas”, em referência ao campo de concentração na Polônia que vitimou milhares de judeus nas câmaras de gás.

Em 2018, a ala mais radical da torcida também já protestou contra a presença feminina nas primeiras filas das arquibancadas, que ficam mais próximas ao gramado. Um ano depois, os membros do grupo ergueram uma faixa com o escrito: “Honra a Benito Mussolini”. O ato foi feito um dia antes do Dia da Libertação, que lembra o fim do fascismo no país.

Multas

Ao longo de sua história, a Irriducibili idolatrou o então atacante Paolo Di Canio. Após uma vitória em um clássico em 2005, ele saudou o público com um gesto fascista, amplamente feito pelo ditador Benito Mussolini décadas antes (veja mais abaixo).

No ano de 2018, a Lazio foi multada em 50 mil euros após uma ação antissemita do grupo de torcedores radicais: foi feita uma montagem de Anne Frank, uma das vítimas do holocausto, na qual ela vestia a camisa da Roma. Junto às imagens, foram encontrados adesivos com a frase “Torcedores da Roma são judeus”.

Além da multa, 13 pessoas ligadas ao grupo Irriducibili foram banidas de cinco a oito anos dos estádios de futebol. Após o incidente, como parte de uma campanha contra o antissemitismo, os jogadores da Lazio entraram em campo vestindo camisas simbólicas sobre a causa.

Mais polêmicas recentes

No ano passado, o espanhol Juan Bernabè, então falcoeiro oficial da Lazio, fez a saudação romana após uma vitória do time contra a Internazionale. Diante da atitude, alguns torcedores o apoiaram com os gritos de “Duce! Duce!”, alcunha usada por Mussolini, fundador do Partido Nacional Fascista. Posteriormente, Juan admitiu o ato: “Eu fiz e não renego, porque admiro Mussolini, fez tantas grandes coisas pela Itália”.

Com a repercussão negativa, a Lazio divulgou um comunicado oficial na época, informando a demissão do homem: “Tendo tomado conhecimento da existência de um vídeo que apresenta Juan Bernabé (funcionário de uma empresa externa à Lazio) em atitudes que ofendem o clube, os torcedores e os valores em que a comunidade é inspirada, foram tomadas medidas para a suspensão imediata da pessoa em causa e o possível fim dos contratos existentes”.

Repercussão

A foto do presidente do Brasil com a camisa da Lazio chegou a ser um dos assuntos mais comentados do Twitter e teve até mesmo repercussão internacional. “É algo que eu tinha certeza que ia ver”, escreveu um usuário. “A piada vem pronta”, postou outro. Confira alguns comentários:

Edição: Roberth Costa
Beatriz Kalil Otherobeatriz.othero@bhaz.com.br

Graduanda em jornalismo pela UFMG e fascinada por futebol, dentro e fora das quatro linhas. Cobre esportes para o BHAZ. Participou de reportagens premiadas pela CDL/BH em 2021 e 2022. Também produziu reportagens premiadas pela Rede de Rádios Universitárias do Brasil em 2020.

Comentários