Após lockdown a cidadãos não imunizados, Áustria estende medida para toda a população; vacina será obrigatória

Áustria
Nova medida foi anunciada hoje (FOTO ILUSTRATIVA: June O/Unsplash)

Após lockdown aos cidadãos que não se vacinaram contra a Covid-19, a Áustria decidiu estender a medida para toda a população a partir da próxima segunda-feira (22). A medida foi anunciada pelo chanceler Alexander Schallenberg, nesta sexta-feira (19), juntamente com a vacinação obrigatória. Com a mudança, a Áustria se torna o primeiro país europeu a voltar com o confinamento nacional e a primeira democracia ocidental a anunciar vacinação obrigatória. As informações são do The New York Times.

Atualmente, cerca de 66% da população austríaca está vacinada contra a Covid-19, uma das taxas mais baixas da Europa Ocidental. A vacinação obrigatória começa a partir de fevereiro de 2022. “Por muito tempo – talvez muito tempo – eu e outros presumimos que deveria ser possível convencer as pessoas na Áustria a se vacinarem voluntariamente”, disse Schallenberg, hoje (19), e complementou: “Portanto, chegamos a uma decisão muito difícil de introduzir um mandato nacional de vacinação”.

“Temos 21 meses de pandemia atrás de nós e sabemos que só podemos acabar com isso quando vacinarmos um número suficiente de pessoas”, disse o ministro da Saúde, Wolfgang Mückstein, acrescentando que o prazo de vários meses foi necessário para se preparar para o mandato, incluindo esclarecer a situação jurídica.

Alta taxa de infecção

Atualmente, a Áustria tem uma das taxas de infecção mais altas da Europa, com 14.212 novos casos de coronavírus registrados em 24 horas nessa quinta-feira (18). Com o lockdown, que vai durar por pelo menos 10 dias, a maioria das lojas serão fechadas e eventos culturais serão cancelados. As escolas permanecerão abertas, mas o ministro da Saúde pediu aos pais para manterem as crianças em casa, se possível. Os supermercados também permanecerão abertos.

O Brasil tem cerca de 60% da população totalmente vacinada. Nessa quarta-feira (17), a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) reforçou o alerta sobre a situação de retorno da pandemia na Europa e lembrou que alguns países europeus com crescimento no número de casos têm índices de vacinação superiores aos do Brasil.

Os pesquisadores chamam a atenção para o abandono das ações preventivas no Brasil, especialmente a liberação do uso das máscaras e o relaxamento das medidas de distanciamento físico. Em Minas Gerais, Ipatinga, no Vale do Aço, e Patos de Minas, na região do Alto Paranaíba, desobrigaram o uso da máscara contra a Covid-19 esta semana.

Com Agência Brasil

Edição: Vitor Fernandes

Comentários