Bilionário Elon Musk volta atrás e diz que acordo para comprar o Twitter segue de pé; entenda

Elon Musk diz que ainda está comprometido com a compra
Elon Musk diz que ainda está comprometido com a compra (Divulgação/TED Conference)

Elon Musk anunciou que suspenderia temporariamente a compra do Twitter na manhã desta sexta-feira (13). De acordo com o empresário, o acordo de R $222 bilhões estava pendente, por falta de detalhes por parte do aplicativo sobre a metodologia de contagem de usuários falsos e spams. Porém, algumas horas após a postagem, o bilionário voltou atrás e reforçou o compromisso de adquirir a rede social.

A primeira publicação de Elon Musk foi as 6h44 de hoje, no horário de Brasília. “Acordo com o Twitter temporariamente suspenso com a pendencia dos cálculos que comprovam que as contas falsas/spam de fato representam menos de 5% dos usuários”, escreveu em seu perfil. O anuncio teve um efeito direto nas ações da rede sociais que desabaram até 19% nas negociações em Nova York.

Apenas duas horas depois, o bilionário voltou atrás na declaração e disse que permanece comprometido com as negociações. “Ainda comprometido com a aquisição”, escreveu como resposta à colocação anterior.

Compra do Twitter

Elon Musk, dono da Tesla, fez uma oferta para comprar o Twitter por US$43 bilhões, que equivale a cerca de R$200 bilhões. O bilionário compartilhou na rede social o documento em que oficializou a proposta no dia 14 do mês passado. O anúncio foi feito pouco mais de uma semana após o empresário comprar 9,1% das ações da empresa.

“Eu investi no Twitter porque eu acreditei no potencial da plataforma para a liberdade de expressão em todo o mundo e eu acredito que liberdade de expressão é um imperativo social para uma democracia funcional”, escreveu o bilionário na época em uma carta enviada ao presidente do Twitter, Bret Taylor.

Edição: Roberth Costa
Giulia Di Napoligiulia.di.napoli@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários