Com exigência de vacina e sem estar imunizado, Bolsonaro come pizza na rua, em pé, em Nova York

bolsonaro pizza
Imagem foi publicadas nas redes sociais de ministro do Bolsonaro (Reprodução/@gilsonmachadoneto/Instagram)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) está em Nova York onde vai participar da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas). Imagens postadas nas redes sociais mostram o político comendo pizza do lado de fora do estabelecimento. A cidade exige a vacinação das pessoas contra a Covid-19 para que ocorra o consumo na parte interna. Bolsonaro ainda não se imunizou.

“Vamos de pizza com Coca-Cola”, postou Gilson Machado, ministro do Turismo, nas redes sociais, nesse domingo (19). Bolsonaro aparece ao lado de outros integrantes do governo. Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria-Geral da Presidência; Anderson Torres, da Justiça; e até o presidente da Caixa, Pedro Guimarães são alguns que lancharam com o presidente.

Devido ao aumento de novos casos e da queda no ritmo da vacinação contra o coronavírus, Nova York determinou que restaurantes verifiquem se os clientes já tomaram a vacina antes de atendê-los. A medida é exigida para as pessoas que optarem ficar dentro do estabelecimento. Ela é válida ainda para cinemas, teatros e outros lugares fechados.

Bolsonaro diz que ainda não tomou a vacina contra a Covid. A presença dele na Assembleia Geral da ONU chegou a gerar incerteza, pois, inicialmente, foi recomendado que os viajantes estrangeiros estivessem vacinados. O posicionamento foi mudado, após a Rússia ter feito críticas. Ao anunciar o recuo, foi destacado que os líderes estrangeiros não imunizados não poderiam ser impedidos.

‘Depois’

Mesmo com a pandemia do coronavírus tendo matado mais de 587 mil brasileiros, o presidente da República ainda não se vacinou. Em live semanal realizada na última quinta-feira (19), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou que Bolsonaro vai precisar se imunizar.

“O senhor está bem, mas tem que se vacinar”, disse o chefe da pasta. O presidente respondeu alegando que ainda vai decidir. “Depois que todo mundo, todo mundo tomar a vacina, eu vou decidir meu futuro”.

Na mesma transmissão, o presidente afirmou que não errou em nenhuma atitude tomada na pandemia. Segundo o chefe do Executivo federal, ele conversou com muitos médicos no Brasil e embaixadores em outros países para embasar suas ações.

“Eu não sou médico, mas não errei nenhuma. Eu não chutei. Conversei com muitos médicos, fiz lives, fiz palestras dentro da presidência da República, liguei para embaixadores que estão em outros países, para médicos no Brasil, bastante, e, logicamente, tudo o que eu falava tinha alguma materialidade. Era pancada o tempo todo. O tempo todo. E não erramos nenhuma”, argumentou Bolsonaro.

Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários