Homem paga tratamento de dependente química que havia furtado seu cão

cachorro furtado canadá
O cãozinho de três anos da raça Shar-Pei chinês havia sumido no dia 18 de junho (Reprodução/Brayden Morton/Facebook)

Um morador de Cranbrook, no Canadá, teve o cachorro furtado enquanto trabalhava em casa e, ao conhecer a autora do crime, teve uma atitude bastante comovente. Quando descobriu que quem havia furtado o animal era uma jovem de 20 anos dependente química, ele decidiu pagar todo o tratamento dela contra as drogas.

O cãozinho de três anos da raça Shar-Pei chinês havia sumido no dia 18 de junho. Depois de apelar até mesmo para as autoridades locais para encontrar seu animal de estimação, Brayden Morton, de 35 anos, sentiu que deveria fazer mais. Em seu Facebook, ele chegou a oferecer uma recompensa a quem o encontrasse.

“Por favor, compartilhe e me ajude. Uma caminhonete Ford, modelo azul mais velho, acabou de parar atrás da minha casa e levou a Darla. Estou oferecendo uma recompensa de US$ 5 mil (R$ 26,2 mil) para quem a possa trazer de volta ou dizer onde ela está”, disse na postagem.

A publicação foi compartilhada por mais de 30 mil usuários da rede social. Dias depois, Morton recebeu a ligação tão esperada, mas ela não aconteceu como ele imaginava. “Ela estava apenas chorando do outro lado da linha. Ela não conseguia nem falar”, disse ao The Whashington Post.

Ele rapidamente percebeu que a mulher era a responsável pelo sumiço de Darla e estava arrependida. “Eu disse a ela: ‘Ouça, eu baguncei muito na minha vida e fui perdoado por muitas coisas que fiz. Eu não estou bravo com você'”.

Reencontro com o passado

Morton e a jovem de 20 anos combinaram de se encontrar em um posto de gasolina da cidade. Depois de finalmente matar a saudade de seu animal de estimação, o homem percebeu os problemas que a garota estava enfrentando.

“Ela é apenas uma criança, e ela estava lá gritando. Eu fui, dei-lhe um abraço e disse: ‘Está tudo bem’”, lembra. Poucos minutos depois de falar com ela, “percebi que ela era viciada em fentanil, como eu”.

O homem lutou contra o vício em drogas durante toda a sua adolescência. Ao ver a situação da garota bem diante do seus olhos, não pensou duas vezes antes de lhe oferecer o pagamento de sua reabilitação.

“Ir para o tratamento foi a coisa mais assustadora que já fiz na minha vida, mas também é a experiência mais esclarecedora que já tive”, lembra Morton. A princípio, a jovem se mostrou relutante com a ideia, mas aceitou a proposta.

História da caminhonete azul

Ao conhecer a verdade por trás do furto do animal, Morton ainda descobriu que cometeu uma injustiça. O dono da cominhonete azul que ele havia visto em seu portão no dia do roubo nada tinha a ver com o sumiço do animal.

Conversando com o homem, Morton soube que ele estava desempregado e dormia dentro do veículo com os seus dois cachorros por não ter mais onde ficar. “Tive que conversar com ele, pois me senti mal pela minha reação quando o encontrei pela primeira vez. Ele estava tentando dormir em seu carro e tinha dois cachorros com ele”, contou.

Para ajudá-lo, Morton pagou uma uma estadia em um hotel para ele e seus animais de estimação.

Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários