Jovem de 17 anos sofre ataque cardíaco após ingerir 12 latas de energético e faz alerta

jovem internada redbull
A adolescente disse a um jornal local que consumia essa quantidade diariamente (Reprodução/@zuerichmascha/TikTok)

Uma adolescente sueca foi parar no hospital na última semana após consumir uma quantidade exagerada de energético. Enquanto estava na escola, Dösli Mascha K, de 17 anos, sofreu um ataque cardíaco e desmaiou após ingerir 12 latas da bebida na última quarta-feira (22).

Em entrevista ao jornal local Blick, a jovem disse que tinha o costume de consumir essa quantidade de energéticos diariamente e que já chegou a sentir dores na região do coração. Depois de ser internada, no entanto, ela pretende se livrar do vício.

“Eu realmente não colaborei na quarta-feira passada. Meu melhor amigo chamou um táxi e me levou ao pronto-socorro. Quando eu disse aos médicos o quanto eu bebo por dia, eles disseram que este era o motivo”, contou.

“Comecei a ingerir bastante no trabalho, começou com uma lata pela manhã, depois uma a cada intervalo, depois do trabalho, à noite com os colegas… eu precisava beber um pouquinho de manhã para acordar. Energéticos são viciantes”, disse a jovem.

Pelo TikTok, Mascha publicou um vídeo em que mostra sua internação e aproveita o espaço para pedir que as pessoas bebam energéticos com moderação. “As bebidas energéticas não são boas para o coração!”, alerta.

@zuerichmascha geniesst es aber nicht zuviel🤝 #herzprobleme #redbull #redbullwitheedition #hard #ekg #foryoupage #goviral #zürich #fypシ ♬ Originalton – 𝑀𝒶𝓈𝒸𝒽𝒶🦋

Cardiologistas alertam

Segundo o presidente da Socesp (Sociedade de Cardiologia de São Paulo), José Francisco Kerr Saraiva, apenas uma latinha de energético já é capaz de acelerar os batimentos cardíacos, por ser um concentrado de cafeína e taurina.

“O energético estimula receptores responsáveis pela vasodilatação coronária e periférica, podendo gerar problemas cardiovasculares até em jovens”, afirma. Quando consumida em excesso, o médico alerta que a bebida pode provocar um aumento na pressão arterial e arritmias e até mesmo causar infarto.


Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários