Pessoas vacinadas que morreram com Covid era muito idosas, diz estudo

MORTOS COVID VACINA
Além da idade avançada, essas vítimas tinham ao menos cinco doenças preexistentes (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Um estudo feito na Itália, divulgado nesta quarta-feira (20), revela que pessoas imunizadas contra a Covid-19 têm chances muito pequenas de morrerem por conta da doença. Segundo os pesquisadores do Instituto Nacional de Saúde, a idade média das pessoas que morreram apesar de vacinadas é 85 anos.

Além disso, essas vítimas tinham ao menos cinco doenças preexistentes, sendo que problemas cardíacos, demência e câncer foram encontrados com maior incidência. Já a média de idade das pessoas que morreram com Covid-19 sem estar vacinadas foi de 78 anos com quatro doenças preexistentes.

Oito meses de análise

A análise foi realizada entre 1º de fevereiro e 15 de outubro deste ano e levou em conta os registros médicos de 671 óbitos por Covid-19 entre não vacinados e 171 entre pessoas totalmente vacinadas.

Durante esse período, houve 38,09 mil mortes pela doença na Itália. Desse total, 33,62 mil foram de não vacinados, 2,13 mil de pessoas que só receberam uma dose de vacina e 1,44 mil de pessoas totalmente vacinadas.

No país, 80% da população acima de 12 anos já está totalmente imunizada.

Com Agência Brasil

Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários