Policial chora após matar jovem de 19 anos que atirou nele nos EUA

policial cai no choro eua
Policial precisou ser consolado por colegas (Reprodução/Redes Sociais)

Uma jovem de 19 anos foi baleada e morta durante um desfile na cidade de Flint, no estado de Michigan, nos Estados Unidos, no último sábado (19). Segundo policiais e testemunhas presentes no local, a mulher atirou diretamente no policial, antes que ele reagisse com dois tiros na direção da jovem. Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra o momento em que o agente atira na mulher e cai imediatamente em prantos na rua.

De acordo com a rede americana de televisão ABC12 News, o policial estava trabalhando no trânsito da cidade para um evento chamado “Juneteenth Celebration Parade”, que celebra a abolição da escravidão nos Estados Unidos. No começo da tarde, por volta de 14h, a mulher parou na frente do oficial em um Chevrolet prata e começou a atirar no policial, que atirou de volta e acertou a mulher.

Ela foi identificada como Brianna Sykes, moradora da cidade, e levada para um hospital de Flint, mas não resistiu. Uma testemunha anônima disse à ABC12 que viu o que aconteceu e viu o policial cair no choro após o tiroteio. “Eu vi um policial a cerca de três metros à minha esquerda na frente de um carro com sua arma na mão”, disse.

“Não vi se alguém atirou para fora do carro, mas vi o policial atirar no carro e pude perceber que ele, pela aparência dele, tinha ferido alguém mortalmente. Ele imediatamente caiu no chão chorando. Eu senti que ele não queria fazer o que tinha que fazer”, pontuou a testemunha.

Investigação

A Polícia do Estado de Michigan disse que Brianna chegou e atirou primeiro, diretamente no policial. Os investidores dizem que, após receber o primeiro disparo, o oficial disparou imediatamente contra a mulher.

A polícia ainda está investigando o que supostamente levou a jovem a pegar uma arma e disparar contra um policial. Os detetives estavam pesquisando os telefones celulares de Brianna e outros registros eletrônicos, incluindo contas de mídia social, e entrevistando pessoas relacionadas à investigação.

O policial envolvido no tiroteio, que não foi identificado, permaneceu em licença administrativa remunerada pelo menos até essa segunda-feira (21), seguindo o protocolo padrão do Departamento de Polícia de Flint.

Edição: Vitor Fernandes

Comentários