Ação de combate à violência contra a mulher prende mais de 600 pessoas em um dia em Minas

violência doméstica
As prisões foram cumpridas no último dia 23, considerado o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio (Paulo H. Carvalho/Agência Brasília)

Em um único dia, 653 pessoas foram presas por violência doméstica ou por descumprimento de medidas protetivas em Minas Gerais. Esse foi o resultado de uma ação conjunta do governo estadual com as forças mineiras de segurança em uma operação que visa intensificar o combate à violência contra a mulher.

As prisões foram cumpridas no último dia 23, considerado o Dia Estadual de Combate ao Feminicídio. Os trabalhos continuarão sendo realizados até o dia 20 de setembro em 853 municípios mineiros. Ao todo, 5.435 policiais militares, civis e penais estão envolvidos nos trabalhos e mais de 240 viaturas e um drone foram usados nas ações.

Número de denúncias também foi expressivo

O balanço do “Dia D”, divulgado pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) nesta terça-feira (31), revela que 483 prisões foram motivadas pelo crime de violência doméstica. Outros 170 mandados foram feitos pelo descumprimento das medidas protetivas.

Além disso, no dia 23 de agosto os canais de atendimento à mulher registraram 2.195 denúncias feitas pelas vítimas nas delegacias e outros 3.293 atendimentos de violência doméstica sem a prisão dos autores. Na data, a Polícia Militar também realizou 1.544 visitas e registrou 916 conduções para delegacias.

Confira os números divulgados pelo governo estadual:

Balanço da operação Maria da Penha no dia 23 de agosto (Governo de Minas/Divulgação)

Conheça os canais de ajuda

O mês de agosto é marcado pela campanha “Agosto Lilás”, criada para conscientizar a sociedade da importância de pôr fim à violência contra a mulher e divulgar os serviços especializados de atendimento e os mecanismos de denúncia existentes.

Caso você seja vítima de qualquer tipo de violência de gênero ou conheça alguém que precise de ajuda, pode fazer denúncias pelos números 181, 197 ou 190. Além deles, veja alguns outros mecanismos de denúncia:

Delegacia Especializada em Atendimento à Mulher
av. Barbacena, 288, Barro Preto | Telefones: 181 ou 197 ou 190

Casa de Referência Tina Martins
r. Paraíba, 641, Santa Efigênia | 3658-9221

Nudem (Núcleo de Defesa da Mulher)
r. Araguari, 210, 5º Andar, Barro Preto | 2010-3171

Casa Benvinda – Centro de Apoio à Mulher
r. Hermilo Alves, 34, Santa Tereza | 3277-4380

Aplicativo MG Mulher
Disponível para download gratuito nos sistemas iOS e Android, o app indica à vítima endereços e telefones dos equipamentos mais próximos de sua localização, que podem auxiliá-la em caso de emergência. O app permite também a criação de uma rede colaborativa de contatos confiáveis que ela pode acionar de forma rápida caso sinta que está em perigo.

Seja qual for o dispositivo mais acessível, as autoridades reforçam o recado: peça ajuda.

Com Agência Minas

Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários