Adolescente mata pai adotivo a facadas após ser agredida pelo familiar

Delegacia Itajubá
Ocorrência foi encerrada na Delegacia de Itajubá (Reprodução/Google Street View)

Um crime bárbaro chocou a população de Marmelópolis, no Sul de Minas, no último sábado (10). Uma adolescente de 13 anos matou o pai adotivo, de 54, a facadas. A garota disse que o familiar estava embriagado e que foi agredida por ele com socos e com uma panela. A vítima chegou a ser levada até o posto de saúde, mas não resistiu. As discussões entre os dois eram frequentes.

A Polícia Militar informou que, ao chegar na casa localizada no Centro da cidade, encontrou a adolescente muito nervosa, chorando bastante e coberta de sangue. Conforme registrado no boletim de ocorrências, a garota explicou que teve uma discussão com o homem.

Durante a briga, a adolescente recebeu socos no nariz e foi golpeada na cabeça por uma panela. O homem, segundo a garota, estava bêbado. Em determinado momento, ela pegou uma faca de cozinha e atingiu o próprio pai adotivo no pescoço.

Familiares da vítima levaram Carlos Alberto da Silva até o Posto de Saúde da cidade, que tem menos de 3 mil habitantes. Após o atendimento realizado, a equipe médica constatou o óbito do homem.

Casos recorrentes

A PM esclareceu, ainda segundo o registro, que compareceu ao local do crime por diversas vezes em outras oportunidades, pois pai e filha tinham discussões constantes. O motivo seria o fato da adolescente precisar realizar tratamento psicológico e a família não tomar as atitudes necessárias.

Outro fator que provocava a briga entre os dois era o desejo da adolescente de morar com a família biológica. O celular da garota foi apreendido para averiguar se o crime foi incentivado por alguém.

O Conselho Tutelar acompanhou o atendimento da ocorrência e um conselheiro foi com a adolescente até a Delegacia de Itajubá, local onde o registro foi finalizado.

Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários