Cachorro foge de clínica veterinária e universidade deverá indenizar tutora em R$ 8 mil

cachorro ilustrativa
Tutora alegou que o cachorro estava na família há 19 anos (Imagem Ilustrativa/McPig)

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais aumentou a indenização, por danos morais, que uma clínica veterinária deverá pagar a uma tutora depois que o cachorro dela fugiu. Agora, a empresa que pertence à uma universidade de Patos de Minas, na região do Alto Paranaíba, deverá pagar R$ 8 mil à mulher.

A tutora havia levado o pet para uma castração na clínica em junho de 2018 na parte da manhã. O procedimento seria realizado durante a noite.

De acordo com o Tribunal, pouco antes do horário da cirurgia, a mulher recebeu uma ligação avisando que o animal havia fugido por volta de 15h.

A universidade alegou que o cachorro fugiu quando duas estagiárias levaram o animal para andar em um jardim, na tentativa de acalmá-lo. Funcionários teriam procurado o cão, mas não encontrá-lo.

A tutora afirmou que o pet estava na família há 19 anos. E que apesar dos problemas de saúde, a perda dele teria causado sofrimento e angústia. Já a clínica afirmou que o tratamento ofertado era gratuito, e que o pedido deveria ser julgado improcedente.

O juiz da Comarca de Patos de Minas estipulou o valor da indenização em R$ 5 mil. As duas partes recorreram da decisão. O relator, desembargador Joemilson Donizetti Lopes, levou em consideração o suporte econômico da instituição para aumentar o valor da indenização.

João Lages[email protected]

Repórter no BHAZ desde setembro de 2023. Jornalista com 4 anos de experiência em veículos de comunicação. Fez cobertura de casos que têm relevância nacional e internacional. Com passagem pela RecordTV Minas, também foi produtor e editor de textos na Record News.

SIGA O BHAZ NO INSTAGRAM!

O BHAZ está com uma conta nova no Instagram.

Vem seguir a gente e saber tudo o que rola em BH!