Mais de 500 pessoas foram presas em operação contra tráfico de drogas em MG

viatura da polícia civil
As ações fazem parte da operação nacional de combate ao tráfico de drogas, organizada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (Amanda Dias/BHAZ)

Durante o mês de junho, a PCMG (Polícia Civil de Minas Gerais) realizou mais de 500 intervenções policiais em todas as regiões do estado. As ações fazem parte da operação nacional de combate ao tráfico de drogas, organizada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública. Mais de 2 mil policiais civis estiveram envolvidos nas buscas, que resultaram na prisão de 576 pessoas em Minas. Outros 66 adolescentes também foram apreendidos pelas autoridades.

Na operação, denominada Narco Brasil, a PCMG apreendeu, ao todo, oito toneladas de drogas em todo o estado. Foram quase 2 mil quilos de cocaína, mais de 1,8 mil quilos de maconha, 536 quilos de crack, 2,3 mil unidades de drogas sintéticas, 8 quilos de haxixe, cerca de meio quilo de skunk, além de 89 veículos e mais de R$ 246 mil.

Nesse período, os policiais também incineraram quase 18 toneladas de drogas no estado e 236 inquéritos relacionados com o tráfico de entorpecentes foram concluídos.

Uma das maiores operações do país

O delegado-geral Joaquim Francisco Neto e Silva, chefe da PCMG, explica que as ações estão sendo realizadas no mês em que é celebrado o Dia Internacional contra o Abuso e Tráfico Ilícito de Drogas, 26 de junho, estabelecido pela ONU (Organização das Nações Unidas). Para ele, essa é “uma das maiores operações do país, no campo do enfrentamento às drogas ilícitas”.

O coordenador de Operações da SIPJ (Superintendência de Investigação e Polícia Judiciária) da PCMG, delegado Álvaro Huertas, acredita que os resultados obtidos pela polícia mineira demonstram a efetividade das forças de segurança do estado. De acordo com ele, das 51 toneladas de drogas incineradas no país, 18 toneladas foram destruídas em Minas Gerais. Em relação a valores apreendidos, no estado mineiro foram R$ 246 mil, mais de 10% do que foi apreendido no Brasil.

“Minas Gerais apresenta números muito relevantes quando comparados aos do país. Apesar de representarmos em torno de 4% do quantitativo de estados participantes, os números de Minas, em cada estatística, ficaram em torno de 10% a 20% do que representado em nível nacional”, revela.

Larissa Reis
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários