‘Gigante carnívoro’: Pesquisadores reconstroem fóssil de dinossauro que habitou região de Uberaba

dinossauro
Esta será a primeira reconstituição do tipo com esta espécie (Luiz Carlos Borges Ribeiro/Divulgação)

Uma equipe da UFTM (Universidade Federal do Triângulo Mineiro) divulgou, nesta terça-feira (5), detalhes sobre um fóssil de um dinossauro de 80 milhões de anos encontrado em Minas Gerais. Segundo os especialistas, o animal era carnívoro, poderia atingir até três metros de altura e viveu na região onde hoje fica a cidade de Uberaba.

O fóssil foi descoberto há uma década, mas só agora, com o início dos trabalhos de reconstrução no tamanho real, é que os detalhes foram revelados. O trabalho é fruto de uma cooperação entre paleontólogos e geólogos do Centro Paleontológico Price e do Museu dos Dinossauros do CCCP (Complexo Cultural e Científico de Peirópolis).

O resultado será uma escultura que reproduz o tamanho e a forma real que o dinossauro tinha em vida – similar a outras estruturas que já estão na cidade.

Gigante carnívoro

Segundo a equipe, o gigante carnívoro encontrado na região de Uberaba poderia atingir nove metros de comprimento por três metros de altura. Um das principais características do animal é uma gigantesca garra com 35 cm em forma de foice em um dos dedos da mão.

O fóssil foi encontrado por acaso, em 2011, por trabalhadores de uma obra para a construção do Hospital Regional de Uberada.

O primeiro registro deste grupo é atribuído à Patagônia Argentina em 1996, e foi publicado em 1998, pelo paleontólogo Fernando Novas do Museu Argentino de Ciências Naturais. No entanto, esta é a primeira vez que uma equipe vai realizar uma reconstrução de como esse animal era em vida, em tamanho real. Até então, esse trabalho existia apenas como esqueleto.

Reconstrução em tamanho real

Após ser localizado em 2011, o fóssil foi entregue ao geólogo Luiz Carlos Ribeiro e agora será reconstruído por uma equipe liderada pelo paleoartista Rodolfo Nogueira. Ainda em 2013, o trabalho do novo dinossauro de Uberaba foi publicado em uma conceituada revista italiana de paleontologia e estratigrafia, o que lhe garante a fidedignidade da informação.

Segundo os especialistas, a apresentação ao público demorou oito anos por falta de recursos financeiros para a reconstrução do animal. A reconstrução terá cerca de 6 metros de comprimento por 2,4 metros de altura. A equipe promete um trabalho bastante realista, que deve impactar o público.

Os detalhes foram apresentados em um evento que integra a 20ª Semana dos Dinossauros coordenada pela diretora do CCCP Stela Mariana de Morais.

Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Editora do BHAZ desde julho de 2021 e repórter desde 2019. Graduada em jornalismo pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2021, além de figurar entre os finalistas do prêmio Sebrae de Jornalismo também em 2021.

Comentários