Policiais mineiros flagram homem desfalecer de fome e o alimentam

policiais alimentam morador de rua
Policiais perceberam que homem estava com dificuldades e resolveram ajudar (Reprodução/Cabo Nathan/Facebook)

Mesmo em meio a tantas tragédias, de tempos em tempos, ainda é possível encontrar pessoas que nos ajudam a renovar as esperanças, nem que seja um pouquinho. Prova disso é uma dupla de alunos do curso de soldados da Polícia Militar que chamou atenção por um ato simples: olhar para o próximo. Eles ajudaram a alimentar um morador em situação de rua que estava com dificuldades em Ipatinga, no Vale do Aço, e deram aula de empatia.

O momento foi compartilhado nas redes sociais e emocionou milhares de pessoas. Ao BHAZ, o capitão Fábio Castro, chefe da comunicação organizacional da PM na região, contou que os militares que aparecem na imagem são alunos da turma de soldados da corporação. “Por volta das 12h do dia 24 [última quarta], os soldados estavam em patrulhamento na praça 1º de Maio, no Centro da cidade, quando perceberam um cidadão deitado no chão”, disse.

Aconteceu hoje em Ipatinga – MG. Policiais Militares avistaram cidadão caído ao solo e identificaram que o cidadão…

Publicado por Cabo Nathan em Quarta-feira, 24 de março de 2021


Ainda segundo Castro, a equipe percebeu que o homem não conseguia se alimentar e decidiu intervir. “De forma espontânea, os soldados resolveram auxiliar aquele cidadão para se alimentar, pois ele não estava tendo força para isso”, explica. Os policiais relataram ainda que, além da dificuldade para se alimentar, o homem também tinha uma sonda mal colocada e precisava de atendimento médico.

Mudança forçada pela pandemia

A situação, que comoveu várias pessoas, foi resultado do encontro entre duas situações muito diferentes, mas ambas agravadas pela pandemia. De um lado, o homem forçado a viver nas ruas precisando de ajuda e, do outro, policiais forçados a mudar a rotina tentando ajudar. “O que acontece: eles estão em período de curso, só que o curso foi suspenso por causa da onda roxa, então não está tendo aula e eles estão reforçando o policiamento”, explica ao BHAZ o capitão Lázaro Soares, coordenador do curso de formação de soldados.

Foi justamente a suspensão das aulas que permitiu que os soldados estivessem no lugar certo e na hora certa para ajudar ao menos um dos milhares de mineiros que vivem em condições precárias. “Eles estavam fazendo policiamento, passando pelo local, perceberam a situação de vulnerabilidade e começaram a conversar para saber como ele tinha chegado ali, se estava precisando de alguma coisa, se estava se sentindo bem… E ele reclamou de fome”, explica Soares.

‘Exemplo a ser seguido’

Nas redes sociais, a atitude da equipe – composta pelos soldados Diego e Weliton, que aparecem na foto, além do soldado Thiago e do sargento Valdinei – conquistou os internautas e rendeu diversas reações emocionadas. “Parabéns aos policiais. Quem tem fome tem pressa e foi o que eles fizeram, merecem nosso carinho e respeito, exemplo a ser seguido”, comentou um usuário.

“Isto é serviço de um bom profissional, que sente dor, porque a maioria da humanidade está anestesiada. Nunca sentiram nada, nem dor nem fome e nem sede, pois veem a necessidade do próximo e não providenciam nada. Isto não é só pra policial, mas qualquer um que seja humano”, disse um segundo, enquanto um outro comentou: “O Brasil precisa de policiais assim, que tenham amor pelo próximo. Esses são exemplos”.

Triste realidade

Apesar de ser uma atitude emocionante, a ajuda dos policiais entrega uma realidade muito mais grave, que coloca cada vez mais pessoas em situação de risco. Ipatinga, onde o momento foi registrado, é uma das dez cidades mineiras que concentram mais de 70% da população em situação de rua no estado. A informação é de um levantamento feito pelo projeto Polos de Cidadania, da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) – coordenado pelo professor André Luiz Freitas Dias.

levantamento moradores de rua mg
Projeto aponta 10 cidades que concentram maior número de pessoas morando nas ruas (Polos de Cidadania/Divulgação)

Segundo o último levantamento do projeto, feito em janeiro deste ano, Minas Gerais tem, atualmente, 18.334 pessoas em situação de rua. Dessas, quase 90% são homens e o restante – 12,5%, para ser exato – são mulheres. O número também é muito maior entre os adultos: 90% estão nessa faixa etária.

Além deles, o índice mais baixo em outras idades não deixa de ser preocupante. Entre as pessoas que vivem nas ruas do estado, 8,5% são idosos e 1% são crianças e bebês. E o problema, além de financeiro, é também racial: quase 80% dos mineiros que vivem nas ruas do estado são pretos ou pardos, contra 20% de brancos e menos de 1% de outras raças.

Colaboração

Além da ajuda, o capitão Lázaro informa que os soldados também encaminharam o homem a uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e acionaram o setor de assistência social da Prefeitura de Ipatinga. “A última informação que a gente tem é que ele permaneceu internado na UPA, tomando antibiótico, e com a previsão de ficar lá por mais sete dias”, detalha Soares.

O coordenador das turmas de soldados da região reforça ainda que a corporação tem parcerias com outros órgãos para prestar assistência a pessoas em situação de rua e encoraja a atenção dos militares a esses casos. “O 14º Batalhão trabalha em conjunto com a prefeitura e já promoveu outras ações sociais. O batalhão também atuava junto com o serviço social da prefeitura para cadastrar os moradores”, lembra Soares.

Edição: Thiago Ricci
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Editora do BHAZ desde julho de 2021 e repórter desde 2019. Graduada em jornalismo pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2021, além de figurar entre os finalistas do prêmio Sebrae de Jornalismo também em 2021.

Comentários