Sem máscara, Bolsonaro tem crise de tosse ao lado de intérprete e alega estar gripado

bolsonaro tosse
Presidente disse estar gripado (Reprodução/Jair Bolsonaro/YouTube)

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teve uma crise de tosse durante a live realizada na noite dessa quinta-feira (14). O político alegou estar gripado. Durante a transmissão que durou pouco mais de 30 minutos, ele não usou máscara.

“Estou com uma gripe aí. Então, está complicado pra mim, mas vamos lá”, disse Bolsonaro aos internautas que acompanhavam a transmissão. Durante a live, o presidente ficou ao lado de um intérprete de libras. Nenhum ministro ou outro convidado participou desta vez.

O presidente não utilizou máscara de proteção, mesmo estando gripado. Entre os assuntos comentados por ele na live, mais uma vez ele questionou a eficácia das vacinas contra a Covid-19 dizendo que é “impressionante” as pessoas testarem positivo mesmo após a imunização.

Bolsonaro voltou a defender o uso de remédio ineficaz para Covid ao comentar sobre um novo medicamento que está sendo desenvolvido e que possivelmente poderá ser usado para tratar a doença. “Meia dúzia do comprimido da caixa azul resolve seu problema”.

O jornal O Globo ainda foi responsabilizado pelo presidente pelo aumento do endividamento das famílias brasileiras. “Você é responsável por isso. Você levou o pavor para dentro dos lares brasileiros com a política de amedrontar todo mundo… Botou na cabeça do povo que ficar em casa ia salvar vidas”, disse.

Mais tosse

Ao final da transmissão, Bolsonaro teve uma nova crise após se despedir do público. “Pessoal, muito obrigado pela oportunidade e até quinta-feira que vem, se Deus quiser”. O presidente chegou a se curvar devido à crise de tosse que teve.

Edição: Vitor Fernandes
Vitor Fórneas
Vitor Fórneasvitor.forneas@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde maio de 2017. Jornalista graduado pelo UniBH (Centro Universitário de Belo Horizonte) e com atuação focada nas editorias de Cidades e Política. Teve reportagens agraciadas nos prêmios CDL (2018, 2019 e 2020), Sebrae (2021) e Claudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados (2021).

Comentários