Em nota escrita por Michel Temer, Bolsonaro recua e diz ‘respeitar as instituições da República’

Temer e Bolsonaro
O comunicado foi publicado após um almoço entre Jair Bolsonaro e o ex-presidente Michel Temer (Reprodução/@micheltemer/Instagram)

Após proferir um discurso atacando o STF (Superior Tribunal Federal) no feriado da Independência, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se comunicou nesta quinta-feira (9), por meio de nota, dizendo “respeitar as instituições da República”. O chefe do Executivo federal afirma, ainda, que as suas palavras “por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum”. Apesar de assinado por Bolsonaro, o texto na verdade foi escrito pelo ex-presidente Michel Temer (MDB).

“Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar”, diz trecho do comunicado (leia na íntegra abaixo). No texto assinado por Bolsonaro, ele afirma que decidiu se manifestar publicamente porque é seu “dever, como Presidente da República”.

Bolsonaro também cita o ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), e reconhece que “na vida pública as pessoas que exercem o poder não têm o direito de ‘esticar a corda’ a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros”. “Por isso, quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum”, continua.

“Reitero meu respeito pelas instituições da República, forças motoras que ajudam a governar o país. Sempre estive disposto a manter diálogo permanente com os demais Poderes pela manutenção da harmonia e independência entre eles”, diz outro trecho. O presidente encerra o comunicado agradecendo o “extraordinário apoio do povo brasileiro”.

Temer confirma autoria do texto

Após a divulgação da nota assinada por Bolsonaro, o ex-presidente Michel Temer confirmou, em entrevista exclusiva à jornalista Thais Arbex, da CNN Brasil, que foi ele quem escreveu o comunicado, publicado no site do governo federal. “Eu estou ajudando a pacificar o país. Até pelo tom da nota, que é de harmonia entre os poderes”, disse Temer.

Segundo apurado pelo G1, Bolsonaro teria almoçado com Temer no início da tarde, encontro esse que não foi informado na agenda presidencial. Jair teria, inclusive, enviado um avião da frota presidencial para buscar o ex-presidente em São Paulo. 

Ainda segundo o portal, durante o encontro, Temer teria intermediado um telefonema entre Bolsonaro e o ministro Alexandre de Moraes, alvo de ataques recentes do presidente. Segundo testemunhas, no entanto, a conversa foi conduzida de forma “amena” e “institucional”.

Internautas reagem

Pelas redes sociais, diversos internautas ironizaram o comunicado do presidente. A hashtag #BolsonaroArregou esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter nesta quinta-feira (9), assim como os nomes do presidente e de Temer. Confira um pouco da repercussão:

Relembre as ameaças

Nessa quarta-feira (8), o ministro e presidente do STF (Supremo Tribunal Federal) Luiz Fux se pronunciou sobre o discurso feito pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante o feriado de 7 de Setembro. Fux repudiou abertamente as ameaças de Bolsonaro de descumprir decisões judiciais do ministro Alexandre de Moraes e classificou condutas como essa como “antidemocráticas, ilícitas e intoleráveis” (veja aqui).

“A crítica institucional não se confunde e nem se adequa com narrativas de descredibilização do STF e de seus membros, tal como vem sendo constantemente difundidas pelo chefe da nação. Ofender a honra dos ministros, incitar a população a propagar discursos de ódios contra o STF, incentivar o descumprimento de decisões judiciais, são práticas antidemocráticas, ilícitas e intoleráveis”, afirmou o ministro.

Já na manhã de hoje (9), o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), se pronunciou para defender a Justiça Eleitoral, que também foi atacada por Jair Bolsonaro durante o discurso de 7 de setembro. Barroso chamou Bolsonaro de “farsante” e afirmou ainda que a “democracia só não tem lugar para quem pretenda destruí-la” (veja aqui).

“Começa a ficar cansativo para o Brasil ter que repetidamente desmentir falsidades, para que não sejamos dominados pela pós-verdade, pelos fatos alternativos, para que a repetição da mentira não crie a impressão de que ela é verdade”, disse Barroso, que continuou: “Hoje em dia, salvo os fanáticos e os mercenários, todas as pessoas de bem sabem que não houve fraude e quem é o farsante dessa história”.

Nota de Bolsonaro na íntegra:

“Declaração à Nação

No instante em que o país se encontra dividido entre instituições é meu dever, como Presidente da República, vir a público para dizer:

1. Nunca tive nenhuma intenção de agredir quaisquer dos Poderes. A harmonia entre eles não é vontade minha, mas determinação constitucional que todos, sem exceção, devem respeitar.

2. Sei que boa parte dessas divergências decorrem de conflitos de entendimento acerca das decisões adotadas pelo Ministro Alexandre de Moraes no âmbito do inquérito das fake news.

3. Mas na vida pública as pessoas que exercem o poder, não têm o direito de “esticar a corda”, a ponto de prejudicar a vida dos brasileiros e sua economia.

4. Por isso quero declarar que minhas palavras, por vezes contundentes, decorreram do calor do momento e dos embates que sempre visaram o bem comum.

5. Em que pesem suas qualidades como jurista e professor, existem naturais divergências em algumas decisões do Ministro Alexandre de Moraes.

6. Sendo assim, essas questões devem ser resolvidas por medidas judiciais que serão tomadas de forma a assegurar a observância dos direitos e garantias fundamentais previsto no Art 5º da Constituição Federal.

7. Reitero meu respeito pelas instituições da República, forças motoras que ajudam a governar o país.

8. Democracia é isso: Executivo, Legislativo e Judiciário trabalhando juntos em favor do povo e todos respeitando a Constituição.

9. Sempre estive disposto a manter diálogo permanente com os demais Poderes pela manutenção da harmonia e independência entre eles.

10. Finalmente, quero registrar e agradecer o extraordinário apoio do povo brasileiro, com quem alinho meus princípios e valores, e conduzo os destinos do nosso Brasil.

DEUS, PÁTRIA, FAMÍLIA

Jair Bolsonaro

Presidente da República federativa do Brasil”

Edição: Giovanna Fávero
Larissa Reislarissa.reis@bhaz.com.br

Estudante de jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e repórter do BHAZ desde 2021. Vencedora do 13° Prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, idealizado pelo Instituto Vladimir Herzog.

Comentários