Genial/Quaest: Lula segue liderando com 44% das intenções de voto, seguido por Bolsonaro, com 32%

Lula e Bolsonaro
Considerando apenas votos válidos, Lula venceria no primeiro turno (Ricardo Stuckert/Lula + Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil)

A nova pesquisa Genial/Quaest, divulgada nesta quarta-feira (3), aponta para uma oscilação nas intenções de voto para as eleições presidenciais. O ex-presidente Lula (PT) segue liderando a ocorrida, com 44% das intenções de voto no primeiro turno, enquanto o presidente Jair Bolsonaro (PL) tem 32%.

Em relação a janeiro, ainda conforme a pesquisa Genial/Quaest, Lula oscilou de 45% para 44% das intenções, dentro da margem de erro. Já Bolsonaro subiu nove pontos percentuais, passando de 23% para 32%.

No último mês, Lula registrava 45% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro aparecia com 31%. A diferença entre os dois candidatos, de 12%, é a menor da série histórica do levantamento, iniciado em julho de 2021.

Já considerando apenas os votos válidos, Lula teria 51% deles, vencendo no primeiro turno na margem de erro de 2 pontos percentuais, contra 37% de Bolsonaro.

A pesquisa entrevistou duas mil pessoas com mais de 16 anos entre os dias 28 e 31 de julho, face a face, nas 27 unidades da federação, abrangendo 123 municípios. Até novembro, o levantamento Genail/Quaest fará 24 rodadas de pesquisa nacional.

Mais candidatos

Atrás de Lula e de Bolsonaro, aparece Ciro Gomes (PDT), que registrou 5% das intenções de voto. O número representa oscilação de 1 ponto percentual em relação ao mês anterior.

André Janones (Avante) e Simone Tebet (MDB) mantiveram 2% de intenções de voto cada um, e Pablo Marçal (PROS), 1%. Os outros candidatos – Vera Lúcia (PSTU), Eymael (DC), Sofia Manzano (PCB), Luiz Felipe d’Ávila (Novo) e Leonardo Péricles (UP) – não pontuaram. 

O índice de rejeição de Bolsonaro é de 55%, contra 44% de Lula. Já Ciro Gomes tem rejeição de 53%.

A economia continua sendo considerada o principal problema do Brasil por 40% dos entrevistados. O índice vem caindo gradualmente, assim como a expectativa de piora da situação econômica, que está no nível mais baixo.

Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduada em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Comentários