‘Não seja um Bolsonaro’: Prefeito de Nova York dá ‘conselho’ e repete provocações

bolsonaro
Prefeito repetiu provocações após presença de Bolsonaro em Assembleia da ONU (Allan Santos/PR)

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, voltou a usar as redes sociais para alfinetar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Nessa quinta-feira (23), Blasio pediu aos mais de 1,5 milhão de seguidores que “não sejam iguais” ao presidente do Brasil e, em vez disso, sigam o exemplo de pessoas como o príncipe Harry e sua esposa, Meghan Markle, que defendem abertamente a vacinação contra a Covid-19.

“Não seja um Jair Bolsonaro, seja um Harry e Meghan. Tome vacina”, publicou o prefeito em seu perfil no Twitter. A “direta” veio após o príncipe inglês e sua esposa passarem a defender o acesso igualitário às vacinas.

Esta é a segunda vez que o prefeito nova-iorquino alfineta Bolsonaro apenas nesta semana. Na última segunda-feira (20), quando o presidente estava na cidade para participar da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), Blasio chegou a dar uma “dica” para o presidente: ele enviou para Bolsonaro a lista dos pontos de vacinação contra a Covid-19 em Nova York.

Na ocasião, o prefeito marcou o chefe do Estado basileiro em um tuíte com os locais. Blasio usou uma publicação que destacava que, sem vacinação, o presidente brasileiro teria sido forçado a comer pizza na rua. Isso porque ele era o único líder do G20 – grupo formado pelas 19 maiores economias do mundo e a União Europeia – que não se imunizou contra a Covid.

Mais cedo, De Blasio disse que se Bolsonaro não quer se vacinar, “nem precisa vir” à Nova York e destacou que a cidade oferece imunização gratuita.

‘Já vai tarde’

Apesar de agitada, essa semana não foi a primeira “intensa” para Bolsonaro em Blasio. Ainda em 2019, o prefeito nova-iorquino já havia alfinetado o presidente. À época, o prefeito reagiu após Bolsonaro cancelar uma ida a Nova York, onde seria homenageado com um prêmio de “Personalidade do Ano”, concedido por uma entidade brasileira nos Estados Unidos.

“Jair Bolsonaro acabou de aprender da maneira mais difícil que os nova-iorquinos não fecham os olhos para a opressão. Nós mostramos o fanatismo dele. Ele fugiu. Nenhuma surpresa, os valentões não aguentam o soco”, disse Blasio, que ainda completou: “Já vai tarde, Bolsonaro. Seu ódio não é bem-vindo aqui” (relembre aqui).

Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Editora do BHAZ desde julho de 2021 e repórter desde 2019. Graduada em jornalismo pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais). Participou de reportagem premiada pela CDL/BH em 2021, além de figurar entre os finalistas do prêmio Sebrae de Jornalismo também em 2021.

Comentários