Carol Portaluppi, filha de Renato Gaúcho, pede empatia e chora em vídeo: ‘Minha saúde mental não tá legal’

Carol Portaluppi
Carol falou sobre pressão dos torcedores (Reprodução/@carolinaportaluppi/Instagram)

Carol Portaluppi, filha do técnico Renato Gaúcho, do Flamengo, gravou uma série de vídeos em uma rede social desabafando sobre a pressão dos torcedores em cima dela. Ela apareceu com os olhos marejados pedindo mais empatia das pessoas na internet. Segundo a influenciadora, a saúde mental dela não está boa.

“Um pedido. Não pulem”, diz o texto sobreposto do primeiro vídeo. “É um assunto muito importante para mim, então por favor, assistam, não pulem. Eu tô sofrendo uma pressão muito grande na internet e eu entendo todo mundo, eu entendo todos os torcedores, de todas as torcidas, eu entendo, eu fui criada no meio do futebol, eu sei como é a zueira, eu sei como é a pressão, eu sei como são as coisas, não é novidade para mim”, disse.

A filha de Renato Gaúcho, que também é ex-jogador de futebol, sempre se destacou no mundo do esporte. Ela é conhecida por manter diálogo com torcedores e jornalistas esportivos, independentemente do time em que o pai estivesse atuando. “Eu tô me sentindo muito pressionada na internet, o que quer que eu faça eu tô até distante, acho que é bem nítido isso, e eu não gostaria de ficar distante, até porque eu trabalho aqui na internet, mas a minha saúde mental não tá legal”, explicou.

Carol pediu para as pessoas pararem para refletir antes de escreverem comentários maldosos nos perfis de rede social dela. “Eu sou uma pessoa como qualquer outra, gente. Eu queria que vocês não confundissem tanto as coisas, sabe? Na hora de comentar qualquer coisa, pensar… porque… eu sei que às vezes a gente fala de cabeça quente, mas tem um ser humano que lê”, completou, praticamente indo às lágrimas.

“Eu tô pedindo empatia, de verdade, tem horas que parece que não vai dar mais, sabe. Que eu não vou aguentar”, clamou.

Empatia

Carol reforçou o pedido de empatia. “Gente, eu sou uma pessoa completamente normal, não faço mal a ninguém. Eu não tenho o que falar para pedir empatia para as pessoas, entende? Desculpa também estar fazendo esses ‘stories'”.

A filha do técnico flamenguista disse que muitas mensagens a machucam. “É muito exaustivo, cansativo, é muita pressão você lidar com tudo isso, tanta gente falando, apontando, falando coisas que machucam, sabe, sendo que às vezes, na grande maioria das vezes, eu não tenho culpa”, lamentou.

“A minha maior mensagem aqui é pedir empatia porque tem uma outra pessoa atrás da tela – no caso eu – que tem sentimento, que tem que lidar com a vida já toda e fica muito triste em ver muita coisa aqui na internet”, finalizou.

Edição: Vitor Fernandes

Comentários