Rafa Kalimann é criticada pelo sotaque mineiro, ‘caipira’ e ‘burro’, e rebate: ‘Tenho orgulho de onde vim’

Rafa Kalimann
Rafa nasceu no interior de Minas (Reprodução/@rafakalimann/Instagram)

A influenciadora Rafa Kalimann recebeu uma mensagem no Instagram com críticas ao seu sotaque. Segundo uma internauta, a vice-campeã do BBB20, que nasceu em Campina Verde, no Triângulo Mineiro, tem um sotaque “caipira, burro”, e deveria voltar “para sua região” para pegar carroça. Kalimann rebateu a crítica com um sorriso no rosto e falou sobre o orgulho que sente em refletir as suas origens.

A mulher também sugeriu à influenciadora a “aprender a conversar”. “Rafaella, entenda de uma vez por todas que você é ridícula com esse sotaque caipira e burro. Volta pra sua região, vai lá para pegar sua carroça e pelo bem de todos sai da internet porque é insuportável te ouvir falar ou então faça o mínimo de aprender a conversar”, disse em mensagem no direct do Instagram.

A internauta também criticou o gosto musical de Kalimann ao responder um story dela cantando sertanejo. “Aproveita pra ouvir música de verdade porque sertanejo deveria ser proibido por ser uma ofensa à música brasileira. Esse estilo sertanejo não é música, não tem cultura, não representa o Brasil – aliás tenho vergonha de ter esse estilo no meu país. Se você quer ser alguém, vai estudar e para de incentivar os jovens a ouvir essas porcarias e falar forçado”, completou a mulher, dando ênfase ao “r” da palavra “forçado”, referindo-se à forma que a influenciadora pronuncia a letra.

A crítica não abalou a mineira, que mostrou a mensagem nos stories e respondeu a internauta com um sorriso no rosto. “Estava eu vendo os directs de vocês. Sim, eu vejo todos, tá? Todos os directs. E eu recebi a mensagem de uma mulher que tinha tudo para ser uma crítica, mas eu vi como um feedback e vocês vão entender o porquê”, iniciou a fala, mostrando a mensagem na sequência.

‘Eu tenho tanto orgulho’

Kalimann mencionou o orgulho que tem de seu sotaque mineiro. “Eu tenho tanto orgulho, eu tenho tanto orgulho do meu sotaque, eu tenho tanto orgulho de onde eu vim, da minha região, da minha cultura, eu carrego isso com tanto amor, sabe, com tanta honra, que saber que isso é tão visto em mim a ponto de incomodar outra pessoa me deixa feliz. Me deixa feliz real. Saber que a pessoa reconhece em mim esse sotaque mineiro, goiano, essa cultura viva acessa em mim, me deixa orgulhosa, porque eu não quero perder ela”, disse.

A influenciadora também morou em Goiás durante um período de sua vida e tem até o título de cidadã goiana pela Assembleia Legislativa de Goiás (ALEGO). Em relação à música sertaneja, ela lembrou o país é composto por diversas culturas. “Agora sobre a música sertaneja, minha filha, você não sabe o que está perdendo. Aliás, com certeza você escuta muito, porque não tem como correr mais. O negócio é bom, não tem com negar”, brincou.

“É besteira a gente se fechar nesse negócio estilo musical. Acordo ouvindo MPB, hoje acordei ouvindo Caetano [Veloso]. Trago pop, trago sertanejo. A gente tem todas as músicas do mundo em um só aparelho hoje em dia, olha que coisa mais boa. Um monte de cultura diferente no Brasil inteiro”, completou.

A mineira terminou a sequência de vídeos deixando um recado aos seguidores. “Nem sempre a gente vai agradar todo mundo. Mas que a gente tem que ter clareza de quem a gente é para não se moldar em cima dessas expectativas. Imagina só se eu lesse o comentário e falasse: ‘meu Deus, acho que estou toda errada’. Nunca, não tô, porque eu tenho clareza de quem eu sou”, finalizou.

Edição: Vitor Fernandes

Comentários