Record proibia Mion de usar camisetas por causa de tatuagem de Nossa Senhora, revela apresentador

marcos mion caldeirão
Marcos Mion usou camiseta pela primeira vez na televisão no Caldeirão (Reprodução/@tvglobo/Twitter)

O apresentador Marcos Mion revelou que a Record o proibia de aparecer usando camisas de manga curta nos programas em que trabalhava, por conta de uma tatuagem de Nossa Senhora. A emissora, que é controlada pela Igreja Universal do Reino de Deus, tem a proibição como diretriz, conforme justificou o apresentador. Mion também contou que a edição cortava quando ele dizia “Nossa Senhora” nas atrações.

Tudo começou quando o apresentador comentou, em seu Twitter, que estava aparecendo pela primeira vez na televisão usando uma camiseta desde que fechou o braço direito com tatuagens. “Que libertador por saber que vai ser constante agora!”, disse Marcos. Confira o tuíte:

Web acusa ‘indireta’ e Mion rebate

Logo após a primeira publicação, alguns internautas criticaram Marcos Mion, dizendo até mesmo que ele estava mandando indiretas para a Record. Após a repercussão, nesse domingo (3), o apresentador voltou a falar sobre o assunto e revelou que não podia usar camisetas por conta de uma tatuagem específica.

“Um assunto reverberou aqui no Twitter mais do que deveria e faço questão de deixar alguns pontos bem explicados, afinal se tem uma coisa que sinto é gratidão pela Record e não quero que chegue neles uma faísca do Twitter criada por interpretações maldosas de um Tweet meu…”, disse.

“Minha saída nunca virou assunto porque o que sinto pela Record é uma gratidão sem fim e todas entrevistas que tentaram me pegar numa aspas que gerasse treta não conseguiram porque sempre faço o lado bom superar qualquer outra situação. É um exercício diário, em qualquer situação”, continuou o apresentador.

‘É uma diretriz da empresa’

Mesmo defendendo a relação com a emissora, Mion confirmou que a rigidez no vestuário era uma determinação da emissora para esconder a tattoo: “Eu não poder usar camiseta por conta da Nossa Senhora que tenho no antebraço é um fato”. Segundo ele, essa era uma diretriz da Record que ele sempre respeitou, “assim como qualquer empresa tem suas crenças e pilares. Normal”, esclareceu.

O novo apresentador do Caldeirão ainda levou a situação com bom humor e disse que o problema era dele, que tinha que se desculpar todas as noites com Nossa Senhora, pedindo a ela para que entendesse. “Que, apesar da minha devoção, eu amava meu trabalho, todas as pessoas e o que a gente criava lá”, contou ele sobre o que dizia à santa.

Além da limitação da tatuagem, Marcos Mion também revelou que suas falas eram cortadas nos programas quando ele mencionava a santa. “E está tudo certo! Quando me vi esse sábado de camiseta e Nossa Senhora em 1° plano, me emocionei! Não critiquei a Record! Nunca. Isso foi faísca do Twitter. Apenas descrevi o quão legal era me ver com Santa Maria no braço!”, justificou.

‘Separação feliz’

“Para terminar: eu estou muito feliz, a Record está muito feliz! Foi uma ‘separação’ feliz no final das contas. As vidas seguem, portanto meus comentários hoje não têm mais a ver com a Record, nem a Record quer nada mais comigo então parem de agitar faísca em uma relação que é ótima!”, finalizou.

Edição: Giovanna Fávero
Andreza Miranda
Andreza Mirandaandreza.miranda@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Comentários