Thales Bretas relembra últimos momentos de Paulo Gustavo: ‘Parecia que tinha premonição’

thales bretas
Thales relembrou momentos tensos durante o tratamento do marido (Reprodução/TV Globo)

O médico Thales Bretas, viúvo de Paulo Gustavo, conversou com Ana Maria Braga, no Mais Você desta terça-feira (3). Um ano após a morte do ator, o programa fez uma homenagem e relembrou a trajetória do artista. Thales falou sobre os planos do casal com os filhos e o temor que Paulo Gustavo tinha de se infectar com Covid-19.

O médico conta que os dois tomaram precauções para evitar a contaminação, mas não foi o suficiente. “Toda semana a gente testava. Fomos fazer um para encontrar um casal de amigos e o dele ficou positivo. Ficamos muito tensos. Ele falava que não podia pegar de jeito nenhum. Parecia que o Paulo tinha uma premonição”, disse.

“Eu internei ele no dia do meu aniversário, 13 de março. Uma data muito forte. Essa parte do hospital e todo o perrengue que eu passei eu não gosto nem de pensar. Fico tentando tocar minha vida para não lembrar do pesadelo. Foram dias mais terríveis da minha vida. Ele tinha muito medo e, ao mesmo tempo, muita calma. Ele chegou a me perguntar se podia morrer, se ele iria sair”, relembrou o médico.

Vida com os filhos

Thales relembrou também o início do relacionamento com o ator, que começou com receio da exposição pública. O médico contou que, no início, ficou com medo da aproximação. Quando Paulo Gustavo passou um tempo em Tóquio, mas continuou ligando para Thales, o romantismo e o carinho o conquistaram. O próximo passo na relação dos dois foi o casamento e o planejamento para terem filhos.

“A gente sempre teve vontade de ter filhos. Eles são demais. Fomos morar juntos com seis meses de namoro e ele falava que queria ter filhos. A gente não tinha como ter filho naquele momento, pedi para esperar me formar, casar e solidificar nossa relação. Assim foi. Nos casamos com dois anos juntos”, narrou.

Thales falou também sobre como o pequeno Romeu sofre com saudade do pai. O outro filho do casal chama-se Gael. “Eles são muito inteligentes. O Romeu era muito apegado no Paulo. O Paulo passava, Romeu começava a chorar querendo ir pro colo dele. Sinto que quando eu comento do papai Paulo e falo que agora ele tá no céu e é uma estrelinha olhando pra gente, ele muda de assunto, sai de perto, sinto que ele se incomoda de alguma forma”, desabafou.

Edição: Roberth Costa
Guilherme Gurgelguilherme.gurgel@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco nas editorias de Cidades e Variedades no BHAZ.

Comentários