Olimpíadas de Tóquio são adiadas para 2021 por causa do novo coronavírus

olimpíadas adiadas
Jogos olímpicos são adiados (@Tokyo2020/Twitter/Reprodução + Arquivo EBC)

Os Jogos Olímpicos foram adiados pelo menos para 2021. A informação foi confirmada nesta terça-feira (24) pelo primeiro-ministro japonês, Abe Shinzo. A data programada para o início das Olimpíadas era 24 de julho deste ano.

Conforme o G1, o anúncio foi feito após conversa telefônica entre Abe e o presidente do COI, Thomas Bach. O COI (Comitê Olímpico Internacional) aceitou o pedido.

Pandemia

O adiamento ocorre por causa da disseminação do novo coronavírus pelo mundo. A pandemia do Covid-19 está “acelerando”, com mais de 300 mil casos registrados no mundo e notificações em quase todos os países, alertou o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Embora tenham se passado 67 dias entre o primeiro caso relatado e a marca de 100 mil casos de Covid-19, bastaram 11 dias para se chegar aos 100 mil casos seguintes e só quatro dias para a terceira leva de 100 mil casos, disse Ghebreyesus.

“Mas não somos prisioneiros das estatísticas. Não somos testemunhas impotentes. Podemos mudar a trajetória desta pandemia”, disse Tedros em entrevista pela internet com mais de 300 repórteres.

Ele pediu um comprometimento político global, apelando aos países para que adotem medidas defensivas e agressivas.

“Pedir às pessoas que fiquem em casa e outras medidas de distanciamento social é uma maneira importante de frear a disseminação do vírus e ganhar tempo, mas são medidas defensivas”, afirmou.

“Para vencer, precisamos atacar o vírus com táticas agressivas e específicas – examinando cada caso suspeito, isolando e cuidando de cada caso confirmado e rastreando e colocando em quarentena cada contato próximo”.

Debandada

Antes da decisão de adiar a competição, Austrália e Canadá já tinham afirmado que não participariam dos Jogos. Os organizadores estavam sendo pressionados justamente a adiá-los pela primeira vez nos 124 anos da história moderna do evento.

Até então, o chefe do programa de emergências da OMS, Mike Ryan, dizia que uma decisão seria anunciada em breve. “Temos toda a confiança de que o governo japonês e o COI não prosseguirão com os jogos se for perigoso para atletas e espectadores”.

Com Agência Brasil