Novembro Azul: Saúde do homem vai muito além do cuidado com a próstata

Novembro Azul: Saúde do homem ainda é envolta em mitos e vai além do cuidado com a próstata
São Marcos – Saúde e Medicina Diagnóstica destaca importância do cuidado preventivo e integral entre o público masculino, em todas as fases da vida. (Reprodução/Banco de imagens Dasa)

A campanha do Novembro Azul visa não apenas alertar sobre o câncer de próstata, mas também sobre a necessidade do cuidado integral com a saúde do homem, ainda envolta em muitas barreiras socioculturais. A negligência e a falsa sensação de invulnerabilidade condicionam a maioria deles a assumirem uma postura de baixo autocuidado e afastamento dos serviços de saúde, especialmente os da atenção primária.

Esses fatores, associados a hábitos como sedentarismo, fumo e alcoolismo, contribuem para os altos índices de mortalidade dessa população. Segundo dados do Ministério da Saúde, 70% dos óbitos por doenças cardiovasculares e 88% dos óbitos por doenças do aparelho digestivo ocorrem em homens.

De acordo com o médico patologista, coordenador Médico e Responsável Técnico do São Marcos – que integra a rede de saúde integrada Dasa -, Dr. Márcio Nunes, é possível evitar muitas doenças com algumas medidas simples. “É importante incorporar bons hábitos no dia a dia e manter uma rotina de cuidados preventivos, incluindo o acompanhamento médico regular e check-ups periódicos”, diz.

O médico ressalta ainda a importância do acompanhamento individual com uma equipe médica de referência e dos cuidados em todas as faixas etárias. “O médico de referência é o profissional em quem você concentra todas as informações e cuidados da sua saúde, a partir da adolescência e em todas as fases da vida.”

Cuidados em cada fase

O câncer de próstata é o segundo mais frequente nos indivíduos após os 50 anos e, também, a segunda causa de morte por câncer nessa faixa etária. Segundo especialistas, a procura por um profissional médico quando a doença encontra-se em um estágio avançado dificulta as chances de cura. Por isso, o cuidado precoce é fundamental.

A partir dos 50 anos, é importante avaliar com o médico os benefícios e riscos do rastreamento para uma decisão compartilhada. Dois exames são essenciais para o diagnóstico do câncer de próstata: a dosagem do PSA no sangue e o toque retal. Como a doença não tem sintomas mais aparentes, os testes são a única forma de detectar um possível tumor maligno. Além disso, outros cuidados devem ser tomados em cada fase da vida.

A partir dos 40 anos: é muito importante manter acompanhamento médico e a rotina cardiovascular em dia. Exames como Colesterol para diagnóstico da Dislipidemia e Hemoglobina Glicada para diagnóstico do Diabetes devem ser realizados periodicamente.

A partir dos 45 anos: converse com o seu médico sobre o rastreamento do Câncer Colorretal (intestino grosso e reto), por meio da realização dos exames de Sangue Oculto nas Fezes ou Colonoscopia. É importante lembrar também sobre as vacinas recomendadas para essa faixa etária, entre elas a Influenza (gripe) e Hepatites A e B.

A partir dos 50 anos: Além do acompanhamento médico periódico, da realização dos exames de rotina e avaliação sobre a necessidade dos exames de rastreamento do câncer de próstata, é importante fazer a avaliação do risco de Câncer Colorretal (intestino grosso e reto) por meio dos exames de Colonoscopia ou Sangue Oculto nas Fezes está indicada nessa idade. 

A avaliação do risco de Câncer de Pulmão por meio da Tomografia de Tórax de Baixa Dose pode ser indicada, a depender de outros fatores, nos pacientes com histórico importante de tabagismo.

Importante lembrar também sobre as vacinas recomendadas para essa faixa etária, entre elas a Influenza (gripe), Herpes Zoster e Pneumocócicas (maiores de 60 anos).

Confira abaixo quatro mitos e verdades sobre a saúde masculina com fala do radiologista da Dasa, Fabiano Arantes Ribeiro

1. Os homens realizam menos o cuidado preventivo do que as mulheres

Verdade. Mais de um terço dos homens não realiza consulta médica pelo menos uma vez no ano. O fator cultural está entre as principais causas disso. “Homens procuram o médico mais quando estão doentes, enquanto as mulheres fazem as consultas de rotina. É mais cultural entre elas, que fazem o exame do toque na mama, mamografias, exames de detecção do câncer de colo do útero. Elas buscam esses exames e acabam fazendo outros e descobrindo de forma precoce as doenças”, conta o radiologista da Dasa, Fabiano Arantes Ribeiro. “E esse é o segredo, detectar de forma precoce traz chances melhores no tratamento”, continua.

2. Homens levam, em geral, um estilo de vida menos saudável do que as mulheres

Verdade. A Pesquisa Nacional de Saúde divulgada em 2020 pelo Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística (IBGE) aponta, por exemplo, que o consumo abusivo de álcool é quase três vezes mais comum entre os homens, que também apresentam uma taxa mais elevada de tabagismo. “Na maioria das famílias atualmente os homens estão mais suscetíveis a fatores de estresse seja pelo trabalho ou pela responsabilidade financeira da casa, além de estarem mais suscetíveis ao consumo de álcool e cigarro. Isso mudou um pouco nos últimos anos, com as mulheres sofrendo cada vez mais com o estresse do trabalho, mas ainda é verdade”, diz Fabiano.

3. O cuidado preventivo deve ser iniciado em idade avançada, a partir dos 50 anos

Mito. Essa é a recomendação para os exames contra o câncer de próstata, mas apenas para quem não possui fatores de risco. Homens que possuem histórico familiar de doenças na próstata devem iniciar antes, aos 45 anos. Já o cuidado geral com a saúde deve se iniciar junto com a vida adulta, a partir dos 20 anos de idade. Os exames de rotina ajudam no controle de fatores de risco como a hipertensão, diabetes e colesterol alto, que podem levar a doença cardiovasculares com consequências graves. A detecção precoce é importante para o sucesso do tratamento.

4. Os exames contra o câncer de próstata são os únicos que precisam ser realizados periodicamente

Mito. “Os exames de laboratório, que medem colesterol, índice glicêmico e outros indicadores, vão rastrear a saúde cardiovascular. Também é preciso fazer com certa frequência um eletrocardiograma e um teste ergométrico”, conta o radiologista Fabiano Arantes. “O câncer no aparelho digestivo também é comum em homens, então é preciso fazer a colonoscopia. Além disso, se o homem é fumante, precisamos incluir entre os exames o rastreio do pulmão com uma radiografia ou tomografia de tórax e investigar também a laringe”, finaliza.

Sobre a Dasa

A Dasa é a maior rede de saúde integrada do Brasil. Faz parte da vida de mais de 20 milhões de pessoas por ano, com alta tecnologia, experiência intuitiva e atitude à frente do tempo.

Com mais de 40 mil colaboradores e 250 mil médicos parceiros, existe para ser a saúde que as pessoas desejam e que o mundo precisa, estando presente em cada etapa de cuidado.

Acredita que para cuidar sempre é preciso cuidar por inteiro. Por isso, olha para a gestão da saúde de um jeito preventivo, preditivo e personalizado. Integra medicina diagnóstica, hospitais, genômica, oncologia, coordenação de cuidado, pronto atendimento, telemedicina, pesquisa clínica e ciência. Ao todo, conta com 16 hospitais referências (considerando rede própria, crescimentos inorgânicos e os deals que ainda estão sob aprovação dos órgãos reguladores), e mais de 59 marcas entre medicina diagnóstica e hospitais, distribuídas em mais de 900 unidades no Brasil.

A Dasa garante uma navegação ágil, descomplicada e sem atritos na jornada da saúde, tanto para pacientes quanto para médicos, por meio da sua plataforma de gestão, o Nav. Além disso, oferece soluções integradas e inovadoras de saúde corporativa, por meio do Dasa Empresas.

Somos Dasa e somos para toda a vida. Para mais informações, acesse: www.dasa.com.br

São Marcos

Novembro Azul Laboratório São Marcos
Reprodução/Dúnia Ca

O São Marcos iniciou seus serviços na capital mineira em 1941, com o médico patologista Dr. Edgard Antunes Cerqueira. Sob a gestão de três gerações da mesma família, perpetuou a marca com o compromisso de oferecer um serviço de excelência com o máximo de cuidado, colaborando e estabelecendo com a comunidade médica uma relação de confiança.

Em 2017, deu início ao seu plano de expansão com a aquisição de empresas de Belo Horizonte e de São Paulo e abertura de novas unidades, chegando a quase oitenta. Após um período de investimentos em diversas frentes, em 2019, a empresa começou a se preparar para mais um audacioso projeto: a sua incorporação à Dasa, maior rede de saúde integrada do país.

Concluída em junho de 2020, a aquisição marcou a chegada da Dasa a Minas Gerais, aliando sua qualidade e excelência incomparável em medicina preventiva e preditiva de alta complexidade à tradição e reconhecimento da marca São Marcos.

Assim, aos 80 anos de história, o São Marcos inaugura uma nova fase, reafirmando seu compromisso com seus clientes de prestar serviços de qualidade e excelência, com o mesmo carinho e calor humano, porém com todo o background, a solidez, a tecnologia e a modernidade da Dasa por trás.

Comentários