UFMG é 5ª melhor universidade da América Latina e 3ª melhor do Brasil

UFMG
No ano passado, a federal mineira ocupou as mesmas posições no ranking (Amanda Dias/BHAZ)

A UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) foi considerada, pelo segundo ano consecutivo, a quinta melhor universidade da América Latina, segundo ranking da Times Higher Education (THE). A versão de 2021 do levantamento foi divulgada nessa terça-feira (13) e também coloca a UFMG como a terceira melhor universidade do Brasil.

No ano passado, a federal mineira ocupou as mesmas posições no ranking, que se baseia em indicadores de performance distribuídos entre ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e internacionalização. As universidades recebem uma nota referente a cada um desses quesitos e, juntas, elas formam a nota final que é utilizada no ranking. Entenda a metodologia aqui.

Na frente da UFMG, na América Latina, estão a PUC (Pontifícia Universidade Católica) do Chile, a USP (Universidade de São Paulo), a Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e o Instituto Tecnológico e de Estudos Superiores de Monterrey, no México.

Depois da universidade mineira, as instituições brasileiras que aparecem entre as 10 melhores no ranking são, respectivamente, a PUC do Rio de Janeiro, a UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), a UNIFESP (Universidade Federal de São Paulo) e a UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro).

Melhor federal

Em abril deste ano, a UFMG levou o primeiro lugar no ranking das melhores universidades federais do país, o IGC (Índice Geral de Cursos). O resultado é relativo ao ano de 2019 e foi divulgado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira).

Foi a primeira vez que a universidade alcançou a liderança, após anos figurando entre as primeiras colocadas. O ranking avaliou e classificou, ao todo, 2.070 instituições de ensino superior brasileiras – o que representa aproximadamente 80% das instituições ativas no país.

A UFMG mantém IGC 5, que é a faixa mais alta, desde 2007, quando o índice foi criado, mas, nos últimos anos, a universidade vem crescendo no âmbito do índice contínuo. Na edição de 2019, a federal mineira alcançou o valor 4,3025 no levantamento, o mais elevado entre todas as federais do país.

Edição: Roberth Costa
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Estudante de Jornalismo na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Escreve com foco na editoria de Esportes no BHAZ.

Comentários