PM morre após ser baleado quando tentava evitar assalto

cabo cardoso assassinado assalto mesquita
Cabo Cardoso foi assassinado quando evitava um assalto (Reprodução/Redes sociais)

As redes sociais foram tomadas neste sábado (5) por mensagens de luto e homenagens a Derinaldo Cardoso dos Santos, cabo da Polícia Militar fluminense assassinado ontem quando tentava evitar um assalto. O agente de 34 anos deixou dois filhos e a esposa após ser baleado na cabeça quando interrompia um roubo a uma loja em Mesquita, na Baixada Fluminense. Cardoso completaria 10 anos na PM no próximo mês.

“Com imensurável pesar, a #PMERJ oficialmente informa que o nosso nobre amigo e irmão de farda, Cb Cardoso, do #20BPM, não resistiu ao ferimento e faleceu na noite desta sexta. O policial tinha 34 anos, completaria 10 anos de corporação no próximo mês, deixa esposa e dois filhos”, publicou a corporação fluminense, na conta do Twitter, no fim da noite dessa sexta-feira.

Cabo Cardoso, como era conhecido, chegou a ser socorrido para um hospital em Nova Iguaçu e, em estado gravíssimo, passou por uma cirurgia. No CTI (Centro de Tratamento Intensivo) da unidade, não resistiu e faleceu. “‘Dos homens, o mais nobre é aquele que entrega sua vida, para proteger aqueles que querem sua morte’. Nossas continências ao eterno CB Cardoso” escreveu a PM do Rio de Janeiro.

‘Sacrificar nossa vida’

O militar tinha gravado um vídeo recentemente, no início de outubro, no qual fazia um desabafo após um colega morrer também em ação. O sargento Cirio Damasceno Santos foi baleado durante uma perseguição na avenida Brasil, na capital fluminense, no dia 12 de outubro.

“Quando entramos na Polícia Militar, juramos sacrificar nossas vidas em defesa da sociedade, em defesa de cidadãos que não nos conhecem, cidadãos muitas das vezes nos criticam. Mas isso não diminui a dor, não diminui o sentimento de perda todas as vezes que perdemos um irmão de farda. Estamos de luto, mas continuamos na luta”, afirmou, emocionado.

Outro comovente vídeo que viralizou pelas redes sociais nas últimas horas foi um do Cabo Cardoso com um dos filhos. Aparentemente, o militar chega à residência após um dia de trabalho e recebe o filho em seus braços.

Outras imagens mostram o agente com uma criança para celebrar o aniversário dela.

Homenagens e protesto

A prefeitura de Mesquita, cidade onde cabo Cardoso foi assassinado, decretou três dias de luto. “Lamenta e manifesta o mais profundo pesar pela morte do Cabo Cardoso, policial militar que foi covardemente assassinado enquanto desempenhava sua função de proteger a população na tarde de ontem, dia 4 de dezembro”.

A gestão municipal ainda afirmou que o militar usava seu momento de folga para trabalhar no Programa Estadual de Integração de Segurança. “Perdemos não só alguém que lutava pela segurança e pelo bem-estar de toda a população do estado do Rio. Cabo Cardoso protegia, em especial, a população mesquitense e as pessoas que trabalham ou circulam pelo município.”

luto prefeitura de mesquita
Prefeitura decretou luto de três dias (Prefeitura de Mesquita/Divulgação)

Às 16h de hoje, policiais militares de todo o estado fluminense prestaram homenagem ao interromper brevemente o serviço e lembrar do que Cabo Cardoso fez em vida. “Pararam para prestar continência ao herói que dedicou sua vida em prol da sociedade fluminense”.

Cabo Cardoso #Herói

Um dos assuntos mais falados pelas redes neste sábado foi justamente o assassinato de Derinaldo Cardoso dos Santos. A hasghtag VidasPoliciaisImportam ficou entre os principais temas no Twitter. “Não há palavras nesse momento. Apenas a expressão do luto e da solidariedade à família do Cb Cardoso, da PMERJ, assassinado a sangue frio durante uma tentativa de assalto. E que episódios como esse não sejam esquecidos jamais. #VidasPoliciaisImportam“, escreveu um internauta.

Thiago Ricci
Thiago Riccithiago.ricci@bhaz.com.br

Editor-executivo do BHAZ desde agosto de 2018, cargo ocupado também entre 2016 e 2017. Jornalista pós-graduado em Jornalismo Investigativo, pela Abraji/ESPM. Editor-chefe do SouBH entre 2017 e 2018; correspondente do jornal O Globo em Minas Gerais, entre 2014 e 2015, durante as eleições presidenciais; com passagens pelos jornais Hoje em Dia e Metro, TVs Record e Band, além da rádio UFMG Educativa, portal Terra e ONG Oficina de Imagens. Teve reportagens agraciadas pelos prêmios CDL, Délio Rocha, Adep-MG e Sindibel.

Comentários