Restaurantes populares de BH: Veja cardápios, locais e quanto custa

restaurantes populares
Refeições passaram a ser servidas em marmitex nos restaurantes populares por causa da pandemia. (Stênio Lima/PBH)

Os restaurantes populares são equipamentos públicos extremamente importantes para garantir a segurança alimentar da população em Belo Horizonte. Ainda assim, parte dos moradores da cidade ainda desconhece os processos de funcionamento dessas unidades.

Os restaurantes populares vendem refeições a preços acessíveis. Ao todo, existem cinco unidades espalhadas pela cidade. Todas elas têm cardápios iguais, que mudam de forma coordenada.

Do mesmo modo, todos os restaurantes seguem ações de controle sanitário avaliadas periodicamente. As medidas visam garantir que, além de acesso a comida de qualidade, os moradores da capital também tenham um espaço seguro para se alimentar.

Onde consultar o cardápio dos restaurantes populares?

Se você quiser saber quais pratos os restaurantes disponibilizam, é possível checar antes mesmo de sair de casa. Isso porque o cardápio está disponível no portal da PBH (Prefeitura de Belo Horizonte).

No site, todos os pratos aparecem separados de acordo com o dia. O cardápio ainda indica os dias em que os restaurantes não funcionam.

Além disso, há unidades que não servem todas as refeições. Tudo isso está explicado no cardápio, disponibilizado no portal da PBH.

Para ter acesso a essas informações, basta clicar neste link e selecionar a opção “cardápio semanal dos restaurantes populares”.

Assim, é possível ver a lista com todos os pratos discriminados por dia e também informações complementares, como quais unidades funcionam apenas para a população de rua e quais servem o jantar.

Quem define o cardápio dos restaurantes populares?

Os pratos que os restaurantes populares servem não são escolhidos ao acaso. Muitos belo-horizontinos se alimentam exclusiva ou majoritariamente nesses lugares.

Portanto, o cardápio é definido sempre por uma equipe composta por especialistas. Esses profissionais seguem protocolos restritos na hora de definir os alimentos.

A PBH explica que a equipe técnica que desenvolve os cardápios é composta por nutricionistas dos restaurantes populares. Acima de tudo, eles trabalham com o objetivo de ofertar alimentos diversificados e de qualidade, garantindo a segurança alimentar e nutricional dos usuários do serviço.

Para o trabalho, esses especialistas seguem os parâmetros estabelecidos nas Portarias nº 66/2006 e 193/2006 do PAT (Programa de Alimentação do Trabalhador), de administração do governo federal. Na hora de montar os pratos, por exemplo, eles precisam levar em consideração uma tabela que prevê valores diários de referência para os nutrientes que devem ser incluídos na alimentação.

A tabela tem valores específicos para a ingestão de carboidratos, proteínas, fibra, sódio e gorduras. Além disso, as quantidades de cada nutriente devem ser distribuídas em todas as refeições com valores específicos para cada uma.

Do mesmo modo, a lei determina quantidades mínimas de frutas, verduras e legumes, alternativas para pessoas que têm doenças relacionadas à alimentação e outros parâmetros.

Medidas sanitárias

Além das regras específicas para a elaboração do cardápio, as equipes também precisam seguir medidas sanitárias restritas – que foram reforçadas durante o período da pandemia de Covid-19. Ao todo, são 284 profissionais que seguem as ações de controle sanitário implantadas e reavaliadas periodicamente em toda a rede.

Além disso, para que o serviço continuasse a ser ofertado de forma segura durante a pandemia, a PBH fechou os salões dos restaurantes e passou a entregar as refeições em marmitex.

A administração municipal também ampliou o serviço para os finais de semana e feriado, períodos nos quais oferece almoço gratuito para a população em situação de rua, mantendo o benefício da gratuidade.

Quanto custa a refeição nos restaurantes populares?

Para cada uma das refeições, a PBH estipula um preço diferente. Assim, os valores são alterados para se adaptar à condição de cada morador. Os preços também ficam sempre disponíveis no site, assim como eventuais alterações e reajustes. Atualmente, os valores são os seguintes:

  • Café da manhã: R$ 0,75
  • Almoço: R$ 1,50
  • Jantar: R$ 3,00

As pessoas em situação de rua têm direito a almoçar gratuitamente. Mesmo assim, é preciso seguir regras. A gratuidade vale para aqueles cadastrados no CadÚnico e, para ter acesso ao benefício, é preciso apresentar comprovante de cadastro e documento de identidade.

Além disso, os preços também são diferentes para os beneficiários cadastrados no Bolsa Família. Desde que tenham cadastros ativos no programa, essas pessoas possuem direito a todas as refeições pela metade do preço.

Impactos da pandemia

A pandemia também mudou outro cenário da prestação desse serviço na capital mineira. Houve uma queda no número de pratos entregues à população. De acordo com a SMASAC (Secretaria Municipal de Assistência Social, Segurança Alimentar e Cidadania), a procura pelos restaurantes populares no município diminuiu durante a crise sanitária.

Em 2019, o número de refeições oferecidas, entre café da manhã, almoço e jantar, superou os 2,5 milhões de pratos. Já entre março de 2020 a abril deste ano, os aparelhos municipais serviram pouco mais de 1,7 milhão de refeições.

A secretaria esclarece, no entanto, que manteve o atendimento nos restaurantes mesmo nos períodos mais críticos da pandemia, já que se trata de um serviço essencial.

Ademais, a administração pontua que ampliou a oferta para os fins de semana e feriados. Essa última é uma medida inédita que passou a valer em abril deste ano.

Com essas mudanças, a administração municipal relata que houve um aumento na produção, considerando a oferta de alimentos todos os dias e não apenas de segunda a sexta-feira.

Nesse meio tempo, o número passou de 40 mil para 50 mil refeições ao mês, o que é considerado um crescimento dentro da média.

Onde ficam os restaurantes populares?

Os restaurantes populares estão espalhados por três regiões da capital, mas é bom ficar atento na hora de sair de casa, porque nem todos servem as três refeições ao longo do dia.

Além disso, alguns também estão com funcionamento suspenso em função da pandemia de Covid-19.

Confira abaixo os endereços e detalhes de funcionamento de todas as unidades:

Restaurante Popular I – Herbert de Souza
Avenida do Contorno, 11.484 – Centro
Funcionamento:
– 7h às 8h – café da manhã
– 11h às 13h30 – almoço
– 17h às 18h30 – jantar

Restaurante Popular II – Josué de Castro
Rua Ceará, 490 – Santa Efigênia (região hospitalar)
Funcionamento:
– 7h às 8h – café da manhã
– 11h às 13h30 – almoço
– 17h às 18h30 – jantar

Restaurante Popular III – Maria Regina Nabuco
Rua Padre Pedro Pinto, 2.277 – Estação BHBus – Venda Nova
Funcionamento: 11h às 13h30 – almoço

Restaurante Popular IV – Dom Mauro Bastos
Rua Afonso Vaz de Melo, 1.001 – Barreiro
Funcionamento: 11h às 13h30 – almoço

Refeitório Popular João Bosco Murta Lages
Avenida dos Andradas, 3100 – Santa Efigênia
Fechado temporariamente.

Giovanna Fávero
Giovanna Fáverogiovanna.favero@bhaz.com.br

Repórter no BHAZ desde outubro de 2019. Jornalista graduada pela PUC Minas (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais) e com atuação focada nas editorias de Cidades, Guia e Cultura.

Comentários