‘Nosso sustento’: Restaurante de BH é destruído por caminhão e família pede ajuda para reconstrução

Caminhão destrói restaurante
Prejuízo estimado é de R$ 40 a 70 mil (Arquivo pessoal/Lorena Rodriguez)

Por volta das 12h dessa sexta-feira (23), um caminhão que fazia a descarga de algus produtos entrou com tudo no muro do restaurante da Tia Ana, no bairro Dom Bosco, região Noroeste de BH. Além de deixar uma pessoa ferida, o acidente destruiu a cozinha que traz o sustento de toda uma família. Por isso, eles criaram uma vaquinha para reerguer o negócio de mais de 20 anos de história.

Quem conta a história é Lorena Rodriguez, vendedora de 25 anos, sobrinha da Tia Ana. Foi a mãe dela, de 61, que precisou ser levada ao hospital após o ocorrido, mas passa bem. De acordo com a jovem, o caminhão ia dar ré e acabou acelerando, colidindo com a parede da casa.

Caminhão
Parte da frente do caminhão entrou na casa (Arquivo pessoal/Lorena Rodriguez)

A mãe de Lorena caiu e teve queimaduras de primeiro e segundo grau causadas pela água quente que foi derrubada em cima dela. O Corpo de Bombeiros chegou a ser acionado para socorrê-la, mas uma policial militar que almoçava no local no momento do acidente a levou ao hospital Odilon Behrens, onde ela recebeu atendimento.

Sustento da família

É do restaurante da Tia Ana que vem a maior parte da renda da família. Além da própria Ana Maria da Silva, de 63 anos, a mãe e uma prima de Lorena também trabalham no estabelecimento, que conta com vários clientes fiéis.

A feijoada e o bife de frango do restaurante fazem sucesso na região e tem gente que já conhece a comida e vem até de outras cidades para comer de novo. “O ambiente é muito acolhedor, elas têm contato direto com o cliente, são muito bem-humoradas e simpáticas”, conta a vendedora.

A família estima que o prejuízo causado pelo acidente seja de aproximadamente R$ 40 a 70 mil. A meta de R$ 10 mil da vaquinha online é para comprar os equipamentos básicos e continuar, pelo menos, entregando as comidas via delivery em um outro espaço.

“O restaurante é o nosso sustento, somos quatro casas, não dá pra deixá-lo de lado para tentar outra forma de conseguir renda”, defende Lorena.

Segundo ela, o caminhão acionou o seguro que, na teoria, pode ter que ressarcir pelos prejuízos causados no restaurante. “Mas não dá para aguardar um processo que pode ser levado para a Justiça, demorar meses ou anos, cheio de burocracia. Como é a base do sustento, não dá pra aguardar”, explica.

Como ajudar

Para contribuir com algum valor para a reconstrução do restaurante da Tia Ana, é só clicar aqui para acessar a vaquinha.

Edição: Giovanna Fávero
Sofia Leão
Sofia Leãosofia.leao@bhaz.com.br

Repórter do BHAZ desde 2019 e graduanda em jornalismo pela UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participou de reportagens premiadas pelo Prêmio Cláudio Weber Abramo de Jornalismo de Dados, pela CDL/BH e pelo Prêmio Sebrae de Jornalismo em 2021.

Comentários